Benfica

Ministro da Administração Interna condena apedrejamento

Luís Filipe Vieira sofreu ferimentos ligeiros
Foto
Luís Filipe Vieira sofreu ferimentos ligeiros Foto: Pedro Cunha

Rui Pereira, ministro da Administração Interna, repudiou o apedrejamento de que foi alvo a comitiva do Benfica quando regressava ontem de Paços de Ferreira.

“São actos condenáveis e nós vamos ser implacáveis nestas situações”, vincou o ministro, sublinhando que as forças segurança estão atentas a este tipo de situações: “Havia um forte dispositivo montado em diversos viadutos, mas é difícil que haja um militar a cada metro para garantir a segurança. As forças de segurança terão um grau zero de tolerância neste tipo de actos de violência. Podem ter consequências terríveis”.

De acordo com Rui Pereira, a abordagem a este tipo de situações passará por uma “maior aposta” na investigação criminal. Algo que, para o ministro, facilitará a detecção dos suspeitos e a sua presença perante a justiça.

A respeito do Benfica-FC Porto de 3 de Abril, que poderá entregar o título nacional aos “dragões”, Rui Pereira apelou à tranquilidade e pediu que não se estrague o espectáculo futebolístico. “Vai ser um jogo de alto risco, e deixo aqui um apelo às direcções e adeptos para que façam deste jogo uma verdadeira festa e que não deixem que alguns desordeiros estraguem o espectáculo”, concluiu.

O autocarro da equipa do Benfica e o carro em que seguia o presidente do clube, Luís Filipe Vieira, foram ontem atingidos por um saco de pedras atirado de um viaduto. O presidente dos “encarnados” sofreu ferimentos ligeiros na mão direita, na sequência dos vidros que se partiram e entraram na viatura, tendo também ficado danificado o capot da viatura.

Já esta terça-feira, a GNR abriu um inquérito para apurar responsabilidades no incidente. “Ao longo talvez uma centena de quilómetros há de facto um momento e numa fragilidade nossa, em que alguém sem consciência e sem perceber que está a por em causa vidas humanas comete um acto que não tem sequer qualificação”, disse à TSF o porta-voz da GNR, Costa Lima.

“Nos últimos meses fruto destas infelizes situações, que se têm repetido, temos garantido o trajecto das equipas de futebol sem registo significativo de incidentes [mas] desta vez as coisas não correram como esperávamos”, acrescentou o mesmo responsável.

Veja as imagens da SIC Notícias do incidente
Sugerir correcção