A palavra lei devia queimar na boca de Pinto da Costa, diz o Benfica

A derrota do Benfica em Braga e a polémica expulsão de Javi García continuam a gerar trocas de palavras entre os "encarnados" e o FC Porto. Depois de Pinto da Costa, presidente portista, ter dito que "o Benfica julga-se acima da lei", Jorge Jesus foi ontem, durante a conferência de imprensa de lançamento do jogo com o PSG, confrontado com essas declaraçãoes. Mas quem respondeu pelo técnico benfiquista foi João Gabriel, director de comunicação do clube. E manteve a guerra acesa. "Essa afirmação tem tanta credibilidade como outra que esse senhor possa vir a fazer nos próximos dias em que diga que o casamento é para toda a vida. Há palavras que deviam queimar na boca de algumas pessoas. A palavra lei na boca desse senhor devia ser impronunciável", afirmou Gabriel.

"Estamos a falar de alguém que foi condenado por corrupção activa pela justiça desportiva. Nós estamos a falar de alguém que foi acusado e só não foi condenado pela justiça civil porque esta não o entendeu, não considerou as escutas como meio de prova, escutas em que fica exposto uma rede de favores sexuais, corrupção, tráfico de influências", prosseguiu o director de comunicação do Benfica, referindo que pensava que o presidente do FC Porto era "pessoa mais inteligente". "O Benfica não está acima da lei, mas exige ser tratado com respeito, com isenção, com critério. O Benfica foi empurrado, foi impedido... enfim, este é o retrato do campeonato", acrescentou.

Jesus fala do perigo PSG

Antes, Javi García, expulso em Braga após lance com Alan, reiterou a sua inocência. "As imagens falam por si. Quem sofre falta sou eu. Sou um jogador duro, mas sempre leal. O Alan fez bastante teatro e o teatro faz mal ao futebol", afirmou o médio. Jorge Jesus também defendeu Javi García. "Ele é um jogado agressivo mas leal. Continuo convencido que a expulsão foi injusta", disse o técnico, que admitiu o erro do guardião Roberto no primeiro golo do Sp. Braga: "É verdade que ele não esteve ao nível dele, mas nesse jogo fez duas grandes defesas."

Para o encontro de hoje com os franceses do PSG, Jesus rejeita o favoritismo do Benfica. "Vai ser uma eliminatória dividida. Vamos jogar contra uma equipa muito forte, que está a fazer um grande campeonato", afirmou o técnico "encarnado", que já defrontou os parisienses quando estava no Sp. Braga, em 2008/09, na Taça UEFA, tendo sido eliminado da competição.