Aviso

BCE admite aumentar taxas de juro já no próximo mês

Jean-Claude Trichet diz que aumento das taxas de juro "não é certo, mas é possível"
Foto
Jean-Claude Trichet diz que aumento das taxas de juro "não é certo, mas é possível" REUTERS/Kai Pfaffenbach

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, admitiu hoje que a instituição pode vir a aumentar as taxas de juro já no próximo mês.

A autoridade monetária europeia decidiu hoje manter inalteradas as taxas de referência no mínimo histórico de um por cento, mas, numa declaração inesperada, admitiu vir a aumentá-las na próxima reunião do conselho de governadores, que se realiza no próximo dia 7 de Abril.

“Um aumento das taxas de juro na próxima reunião é possível”, disse Jean-Claude Trichet. “Isto não é compromisso, não é certo, mas é possível”, acrescentou o presidente do BCE, garantindo que a decisão será tomada pelo conselho de governadores em função de novas informações sobre os aumentos dos preços.

É a primeira vez em quase dois anos que o BCE admite vir a subir as taxas de juro, de modo a travar a inflação, que tem estado a aumentar devido à escalada dos preços das matérias-primas. Contudo, apesar de o aumento das taxas de juro conter a inflação, teria um impacto negativo para os países da zona euro com problemas de dívida, como é o caso de Portugal.

De acordo com Jean-Claude Trichet, o BCE fará “tudo o que tiver de fazer para garantir a estabilidade de preços no médio prazo”, salientando, contudo, que o possível aumento dos juros em Abril não significa “o início de uma série de aumentos”.

O BCE reviu em alta a sua projecção de inflação para este ano, estimando agora um aumento dos preços de 2 a 2,6 por cento. De acordo com Trichet, as previsões foram revistas em alta devido ao aumento dos preços das matérias-primas, sobretudo do petróleo e dos alimentos. Ainda assim, esta projecção não tem em conta o aumento mais recente do preço do crude.

O banco central voltou a reforçar a importância de a inflação no curto prazo não dar origem a inflação no médio prazo, através, por exemplo, de um aumento dos salários.

Notícia actualizada às 14h12