Liga

Belluschi, Falcao e o FC Porto não foram fazer turismo ao Algarve

Belluschi marcou o primeiro golo da noite em Olhão
Foto
Belluschi marcou o primeiro golo da noite em Olhão Rafael Marchante/Reuters (arquivo)

O FC Porto foi ao Algarve conquistar a 19.ª vitória em 21 jornadas já disputadas no campeonato. Os “dragões” impuseram ao Olhanense a primeira derrota em casa (0-3) mas demoraram a descobrir a maneira de desmontar a resistência oferecida pelos anfitriões.

A partida só ficou resolvida na segunda parte, com os golos de Belluschi e Falcao (2). O líder fica agora na expectativa em relação ao que o Benfica fará hoje, em casa, contra o Marítimo.

Esta vitória valeu um recorde à equipa de André Villas-Boas. O FC Porto é o melhor líder do campeonato à 21.ª jornada desde que o Benfica de Jimmy Hagan completou as primeiras 21 rondas de 1972-73 apenas com triunfos. O triunfo em Olhão também serve de motivação aos “dragões” para o que aí vem na Liga. O treinador do FC Porto tinha dito que as próximas cinco jornadas seriam decisivas na luta pelo título e a equipa iniciou este ciclo da melhor maneira.

Mas a tarefa não foi simples. Muito organizados na defesa, os anfitriões resistiram quanto puderam e adiaram os golos mais de uma hora. O FC Porto dominou e Hulk foi o protagonista das principais oportunidades na primeira parte, a mais flagrante das quais quando rematou forte após uma defesa incompleta de Ricardo Baptista, embora tenha surgido um defesa a oferecer o corpo à bola. Depois foi Belluschi, aos 39’, a atirar de livre à malha lateral da baliza do Olhanense.

Insatisfeito por chegar ao intervalo sem golos, Villas-Boas retirou Sapunaru e Silvestre Varela para colocar em campo Fucile e James Rodríguez no início da segunda parte. A partida continuou a ser bem disputada, os “dragões” iam criando cada vez mais perigo, mas a organização do Olhanense não se desfazia. Aos 51’, Falcao atirou ao poste, valendo a seguir Carlos Fernandes, a tirar uma bola que ia para a baliza.

Até que, aos 68’, Belluschi inaugurou o marcador, com um grande pontapé à entrada da área, a fazer a bola descrever um arco batendo Ricardo Baptista. A segunda estocada dos “dragões” surgiu logo de seguida: Falcao – que antes do jogo, na rede social Twitter, tinha recomendado o Algarve como um sítio “muito turístico, com praias bonitas” – mostrou que não foi ao Algarve fazer turismo e livrou-se de três adversários para apontar o 2-0, assinalando o seu regresso aos golos.

A perder por dois, o Olhanense esqueceu alguma da sua timidez, mas não a suficiente para evitar a primeira derrota em casa. E, já nos descontos, Ricardo Baptista não segurou o remate forte de Hulk, deixando Falcao sozinho ao segundo poste para emendar e fazer o 3-0. Na primeira de cinco jornadas decisivas, o FC Porto fez o que tinha a fazer.

POSITIVOBelluschi

É verdade que Falcao regressou aos golos, e logo a dobrar, mas foi o argentino quem abriu caminho à vitória, com um golaço que vale a pena rever. Teve um papel muito importante no meio-campo portista. Hulk foi incansável e James Rodríguez entrou bem na partida.


Paulo Sérgio

Foi o mais inconformado no Olhanense e não se cansou de lutar no ataque. Defensivamente, Maurício e Nuno Piloto estiveram bem.


NEGATIVO
Ricardo Baptista

O Olhanense foi uma equipa organizada e, durante mais de uma hora, resistiu ao FC Porto. Porém, a defesa abriu brechas na segunda parte, e o guarda-redes fica associado ao último golo, num lance em que não afastou o remate fortíssimo de Hulk, deixando a bola a sobrar para Falcao.


Ficha de jogo

Jogo no Estádio José Arcanjo, em Olhão.


Assistência 5296 espectadores.


Olhanense

Ricardo Baptista 5, Suárez 5, Maurício 6, André Micael 5, Carlos Fernandes 6, Fernando Alexandre 5, Nuno Piloto 6, Jorge Gonçalves 6 (Adilson -, 88’), Paulo Sérgio 6, Ismaily 5 (Lulinha 5, 69’) e Djalmir 5 (Yontcha -, 81’). Treinador Daúto Faquirá.

FC Porto

Helton 7, Sapunaru 6 (Fucile 7, 46’), Rolando 7, Otamendi 6, Álvaro Pereira 7, Fernando 7, João Moutinho 6, Belluschi 8 (Ruben Micael 6, 76’), Hulk 7, Falcao 8 e Varela 6 (James Rodríguez 7, 46’). Treinador André Villas-Boas.

Árbitro

João Capela 5, de Lisboa.

Amarelos

Fernando Alexandre (35’), Hulk (63’), Maurício (79’) e Ruben Micael (90’+1’).

Golos

0-1, por Belluschi, aos 68’; 0-2, por Falcao, aos 70’; 0-3, por Falcao, aos 90’+2’

Notícia actualizada às 23h10