Inspecção aos pilares da Ponte 25 de Abril começou ontem após um mês de espera

Foto
Não há inspecção desde 1988

Condições meteorológicas adversas e correntes muito fortes no rio Tejo foram adiando os trabalhos que deveriam ter começado em Janeiro

Depois de um mês de espera, arrancaram ontem os trabalhos de inspecção subaquática dos pilares da Ponte 25 de Abril, que liga Lisboa e Almada. O primeiro dia foi ocupado com medidas preparatórias para as acções que vão decorrer nos próximos dois a três meses.

Os trabalhos deveriam ter começado em Janeiro, mas a empresa concessionária da ponte, a Estradas de Portugal, decidiu adiar a inspecção, devido às condições adversas que se verificavam na altura, com "fraca visibilidade e uma corrente excessivamente forte" das águas do rio Tejo.

A empresa considera que agora já estão reunidas as condições de segurança necessárias ao decorrer dos trabalhos subaquáticos, que se vão prolongar até ao mês de Abril. Em comunicado, a Estradas de Portugal esclarece que será feita uma "inspecção visual, complementada com registo vídeo e incidindo sobre a totalidade das superfícies submersas de betão".

Esta é a primeira inspecção do género nos últimos 23 anos. Desde 1988 que os pilares que suportam a ponte não eram limpos nem filmados. Para esse efeito, a Estradas de Portugal adjudicou a tarefa a uma empresa de engenharia e consultoria de Lisboa, a Quadrante SA, que será responsável pela coordenação dos 11 elementos da equipa técnica, oito deles mergulhadores.

Os mergulhadores vão procurar sinais de erosão ou fendas junto aos pilares, problemas que poderiam provocar ou contribuir para a queda desta travessia entre Lisboa e Almada, que começou a ser construída em 1962 e foi inaugurada em 1966.

No final, a empresa adjudicatária vai apresentar um relatório à Estradas de Portugal, no qual irá constar o estado actual dos pilares da Ponte 25 de Abril, que tem mais de dois quilómetros de extensão. De acordo com o gabinete de comunicação da empresa de rodovias, os resultados devem ser conhecidos até ao final de Maio.