POSITIVO e NEGATIVO

+


Cássio
Quatro boas defesas do guarda-redes do Paços de Ferreira ajudaram a sua equipa a guardar uma vantagem conseguida muito cedo na partida. O brasileiro foi fundamental ao opor-se às poucas ocasiões que o Braga foi capaz de criar e transmitiu a serenidade necessária aos companheiros durante todo o encontro.
BR>

-


Braga
Meia dúzia de remates e muito pouco futebol são produção a menos para uma equipa com um plantel como o do Braga. As ausências de Vandinho e Alan não chegam para explicar um jogo apagado dos bracarenses, que assim se atrasam mais na luta pela Europa.

Liga

Paços prova em Braga que está na luta pela Europa

O Paços de Ferreira parece ter-se transformado no pesadelo do Sporting de Braga esta época. Depois de ter afastado os minhotos da Taça da Liga, a equipa de Rui Vitória foi a Braga vencer (1-2) e atrasar ainda mais os vice-campeões nacionais na discussão de um lugar de acesso às competições europeias. O triunfo de hoje coloca os pacenses na luta depois de terem ascendido ao quinto lugar na Liga.

Com ausências de vulto como Alan e Vandinho, o Braga apresentou uma equipa inicial com caras novas mas poucas ideias. A formação bracarense teve sempre mais posse de bola, mas raramente soube o que fazer com ela, tendo criado poucas oportunidades de golo. Nas raras vezes em que podia ter marcado encontrou quase sempre pela frente o guarda-redes Cássio.

O resultado deve-se também ao acerto do Paços de Ferreira, concentrado a defender e rápido a encontrar soluções para criar perigo. O triunfo pacense cedo começou a desenhar-se. Aos 10’, Guilherme perdeu a bola para Rondon e acabou por carregar o atacante pacense pelas costas, cometendo falta para grande penalidade, que Manuel José não desperdiçou.

Sete minutos depois, uma nova perda de bola bracarense resultou em novo golo. Desta vez foi Sílvio que, com um desvio infeliz, marcou na própria baliza, após cruzamento de Manuel José. Não tardou a reacção bracarense: três minutos após o segundo golo do adversário, Mossoró rasgou pelo corredor central e surgiu em excelente posição na cara de Cássio, mas o guarda-redes salvou o lance.

O golo do Braga viria a surgir aos 34’ por intermédio de Ukra, num remate colocado ao ângulo da baliza. O mesmo jogador obrigou Cássio a mais uma intervenção dois minutos depois, mas a reacção bracarense praticamente terminou aí.Após o intervalo, o jogo adormeceu. O Braga não conseguiu criar perigo e até foi o Paços a assustar, num remate de Rondon (55’) cortado pelo corpo de Kaká. A expulsão por acumulação de amarelos de David Simão, aos 76’, ainda deu alento extra ao Braga, mas Cássio impediu o golo de Lima (85’).

Com este triunfo, o Paços de Ferreira deu um grande salto na tabela, chegando ao quinto lugar, e mostra estar em condições de assumir a luta pelo acesso às competições europeias da próxima época. O Braga também continua nessa luta, mas tarda em encurtar distâncias para os adversários que seguem à sua frente.