Talassoterapia, a saúde que ve m do mar

Foto
Grande Real Villa Itália

Portugal é o país ideal para a prática da talassoterapia. Mas os portugueses ainda não estão bem informados sobre os benefícios da água do mar e poucos sabem que um dos melhores cinco centros do mundo é no Algarve. Maria Antónia Ascensão experimentou alguns tratamentos e conversou com quem vai ao mar buscar saúde

Portugal é um país pequeno mas tem uma extensão de costa superior a dois mil quilómetros. Está situado em pleno Atlântico, oceano que tem as águas mais ricas para prática de talassoterapia. "As águas do Mediterrâneo, por exemplo, têm muito pouco poder terapêutico, o mar é morto e, por isso, a água tem menos força e também menos oligoelementos", disse à Fugas Beatrice Pinto, a directora do centro de talassoterapia de Vilalara, considerado pela revista de viagens Condé Nast Traveller um dos cinco melhores centros para a prática de talassoterapia do mundo e distinguido pelos World Travel Awards 2010 como o melhor Spa Resort em Portugal.

A talassoterapia é uma terapia de saúde e bem-estar que faz parte dos dez pacotes turísticos nos quais assenta o Plano Estratégico Nacional de Turismo. Mas, segundo um estudo da Associação Empresarial de Portugal (2009) da Câmara de Comércio e Indústria, Portugal ainda está mal posicionado no ranking dos destinos de saúde e bem-estar, sector liderado pela Itália.

"Falta divulgação sobre o que é a talassoterapia", defende Soraya Ali, do Centro de Talassoterapia da Costa de Caparica. O director do spa do Hotel Real Villa Itália, Cristóvão Silva, também concorda: "Falta divulgação e aconselhamento médico."

A talassoterapia é a utilização combinada da água do mar, o ar marinho e substâncias extraídas do mar, como algas, lamas e areia. O termo talassoterapia provém do grego thalassa (mar) e therapia (tratamento). Embora utilizada pelos gregos e romanos pelos seus efeitos terapêuticos, a prática perde-se no tempo. Em 180 a.C., Eurípedes escrevia que "a água do mar cura as doenças dos homens" e Hipócrates recomendava os banhos quentes de água do mar. Mas só em 1820 é que surgiram os primeiros centros de talassoterapia, tal como os conhecemos hoje, na região francesa da Bretanha.

Em Portugal surgiu em 1990, no Hotel Vilalara. "Na altura, a cultura do spa já estava muito madura em França. O proprietário do hotel na altura, o suíço Léon Levy, resolveu trazer para cá o conceito, sobretudo para atrair clientes no Inverno", recorda Beatrice Pinto. E conseguiram porque o centro de talassoterapia deste resort é frequentado sobretudo por portugueses. "O português foi muito habituado a fazer curas nas termas. Os que aqui vêem são sobretudo aqueles que encaram a talassoterapia como termas, só que com água do mar ".

A descoberta da acção virtuosa do mar no bem-estar físico e mental é a razão do sucesso desta terapia, que conta tanto com tratamentos curativos como preventivos. A água do mar é uma fonte de elementos vitais, devido às suas qualidades biológicas e à composição fisiológica semelhante ao plasma humano - contém 92 dos 120 oligoelementos recenseados, como o magnésio, iodo, lítio, zinco, cobre, selénio e cálcio. Aquecida, entre 32ºC e 36ºC, favorece a penetração dos oligoelementos ao nível da epiderme, reforça o sistema imunitário e proporciona relaxamento muscular e descontracção. Por exemplo, uma pessoa de 80 kg, pesará apenas 20 dentro de água doce e oito dentro de água do mar, o que facilita esforços e permite uma reabilitação mais rápida.

Os centros de talassoterapia têm programas específicos para emagrecer, combater o stress ou tonificar as pernas, mas todos têm médicos que criam programas específicos, adaptados às necessidades de cada pessoa. Para se obterem resultados, os programas têm, em média, a duração de seis dias, sendo que não é aconselhado fazer mais do que quatro tratamentos diários porque, como explica Beatrice Pinto, o corpo tem um limite de assimilação dos elementos do mar - a partir do quarto tratamento há uma saturação e o corpo deixa de assimilar.

Viver melhor

Na Costa de Caparica existe há 16 anos o único centro de talassoterapia do país que não está integrada numa unidade hoteleira. A média de idades de quem frequenta este centro ronda os 60 anos. "Temos pessoas que há anos vêm duas vezes por semana. A maior parte tem uma saúde de ferro e não aparenta a idade que tem, parece que pararam no tempo", diz Soraya Ali, aludindo aos benefícios da talassoterapaia. Aqui também vem quem quer passar um bom momento e relaxar. "Muitos vêm quando estão em situações de stress, simplesmente porque alguém lhes disse que fazia bem, a maior parte nem conhece os benefícios da água do mar. Nós tentamos "educar" e explicar os benefícios desta terapia às pessoas."

A talassoterapia está indicada principalmente para a recuperação corporal; cansaço físico e/ou mental; convalescença médica, cirúrgica ou pós-parto; esta