Futebol

Costinha considera venda de Liedson “ruinosa” para o Sporting

Costinha afastou-se da decisão de vender o passe de Liedson
Foto
Costinha afastou-se da decisão de vender o passe de Liedson Luís Manso (arquivo)

O director para o futebol do Sporting falou à Sport TV e disse que os adeptos estão iludidos. “Querem com tostões uma equipa de milhões”, afirmou Costinha, numa entrevista que promete dar polémica, até porque considerou “ruinosa” a venda de Liedson, numa afirmação em que se distancia claramente da administração.

As diferenças entre o Sporting e os dois grandes rivais Benfica e FC Porto são grandes e isso deixa o director “leonino” impotente para tentar competir ao mesmo nível.

“O Benfica e o FC Porto quando querem alguém compram, o Sporting não pode comprar. Por uma verba de pouco mais de 100 mil euros não consegui o Trezeguet, que preferiu assim ir para o Hércules [clube da I Divisão espanhola]. O Sporting não tem poder económico para acompanhar esses jogadores. É uma pecha muito grande para um clube da grandeza do Sporting”.

Críticas a administração

Saiu Liedson e não entrou ninguém. Isto indignou Costinha. “Não percebo porque o Liedson saiu. Não fui eu de certeza [quem decidiu], só soube na parte final. Pode ter sido um negócio vantajoso, mas desportivamente foi ruinoso”, contou, atirando de seguida. “O Sporting ainda tem alguma coisa para ganhar, nem que seja prestígio”.

“Esta época já perdemos vários bons jogadores, seguramente a venda de Liedson foi uma decisão da administração que pensou ser um bom negócio. Sabíamos que havia alguma agitação em torno do caso – o Paulo Sérgio soube à mesma hora que eu... O único problema que houve entre eles foi num treino, o que é perfeitamente normal. Até eu tive problemas com o José Mourinho e resolveu-se...”. E disse que não foram ordenados em atraso que fizeram o luso-brasileiro sair para o Corinthians: “Está tudo em dia”.

Há muitas barreiras financeiras no clube de Alvalade, diz ainda o dirigente. “Com tostões querem uma equipa de milhões. Nós temos oito milhões e os nossos rivais 30 milhões. O FC Porto num só jogador gastou o que nós gastámos em três...”.

Com este cenário, Costinha deixa um desabafo: “É inconcebível o Sporting não lutar pelos títulos, mas não temos essas condições. Não vale a pena iludirmo-nos”, sublinhou.

“Vêm aí eleições, espero que apareçam projectos sólidos, o Sporting precisa de voltar aos títulos. Mas não se pode adiar aquilo que é inadiável. Temos de pôr o conta-quilómetros a zero e começar de novo”, afirmou Costinha, que falou nos assobios.

“Este clube já teve mais presidentes que jogadores, o FC Porto tem o mesmo há 30 anos. De ano para ano muda de presidente, nunca nada está bem. E nós sportinguistas somos os primeiros a darmos essa pedrada. Dividimos para conquistar”, criticou.