Madeira mostrou "cartão vermelho" a Jardim

José Manuel Coelho considera o seu "extraordinário" resultado "um voto contra a corrupção por parte dos portugueses que estão cansados deste capitalismo selvagem" e das políticas de Cavaco Silva e José Sócrates.

Vencedor na capital madeirense e em mais dois dos 11 concelhos da sua região, Coelho foi aqui o segundo mais votado (39%), depois de Cavaco Silva (44%). Por um lado, diz, "os madeirenses deram um cartão vermelho ao dr. Jardim e ao seu despotismo, advertindo-o com esse sinal que está na hora de ir para casa cuidar dos netos"; por outro, "deram um grito de revolta e um pedido de ajuda à República para pôr termo à situação antidemocrática na região".

"O jardinismo sofreu um grande abalo e tem os dias contados", conclui Coelho, que espera "contar com toda a oposição para derrotar definitivamente este regime antidemocrático". Na Madeira, Coelho conseguiu 46 mil votos, mais do dobro da votação obtida nas regionais de 2007 pelo maior partido da oposição, o PS, atingindo quase a soma global dos seis partidos minoritários do parlamento regional. T. de N.

Sugerir correcção