Os Clã num recreio pop

Foto
Ricardo Castelo/NFACTOS

Regina Guimarães, que escreveu boa parte das letras do espectáculo, diz que Disco Voador "não é um OVNI no cosmos dos Clã". Certo, dizemos nós, mas é o mais próximo disso que a carreira do grupo já esteve perto de produzir. Disco Voador não é ainda um disco (será editado algures neste semestre), mas é, para já, um espectáculo que junta música, vídeo e performance, inspirado no universo infanto-juvenil.

A estreia, sexta-feira, no Teatro Municipal de Vila do Conde, foi também o culminar de um projecto que envolveu crianças de dez escolas do concelho, de onde os Clã são originários. Na plateia conviviam crianças, pais e o público habitual do grupo. Era o que a banda pretendia: fazer canções que fossem só teoricamente para crianças, canções que chegassem a toda a gente. As canções estiveram à altura da ambição, mesmo que tenham escasseado os momentos que possam sobreviver noutro contexto.

Previsivelmente, o que se revelou em palco foi o lado mais lúdico dos Clã, cujo percurso alternou sempre entre episódios descaradamente pop e outros de maior introspecção. No palco de Vila do Conde, vimos os Clã a poderem experimentar outras linguagens sem perderem coerência. Foi assim em Loja do mestre Hermeto, algures entre a música caribenha e a tradição popular portuguesa, com um regresso de Manuela Azevedo ao kazoo, mas também noutras canções em que se vestiram de banda rockabilly, grupo de baile ou fanfarra. Noutro momento, eis os Clã a darem uma aula de educação sexual e a ensinar que um rapaz gostar de outro "não é pecado", tudo embalado por um ritmo gingão movido a órgão e guitarras e um "ai" a fechar cada estrofe, como que a rir-se de tudo isto. Amigo do peito revelou-se um potencial êxito, lembrando uma versão hipervitaminada de GTI.

Já a conhecíamos, mas Disco Voador levou a dimensão performativa dos Clã a novos níveis. Esta é uma banda que leva a presença em palco a sério. Não é só Manuela Azevedo, a vocalista e natural centro das operações em palco, que o faz: é toda a banda. Vimos isso numa fanfarra sobre um viciado em chocolate, com parte da banda a dançar como se estivesse num musical para risota geral na plateia; vimos também nos saltos sincronizados de Asas delta ou nas micro-histórias de Regina Guimarães lidas por Manuela Azevedo, por minutos actriz em peça de teatro para crianças.

Os Clã são uma banda pop-rock como há poucas em Portugal, totalmente à vontade com a sua condição mainstream, mas sem que isso represente uma cedência aos caminhos fáceis. Disco Voador é um raro momento em que a actual música infanto-juvenil portuguesa circula por territórios não indigentes ou boçais, muitos anos passados sobre pérolas como Os amigos do Gaspar - o que, bem vistas as coisas, já não é pouco.

Pedro Rios