Sporting

Paulo Sérgio recusa demitir-se

O treinador do Sporting não desiste
Foto
O treinador do Sporting não desiste João Gaspar (arquivo)

O treinador Paulo Sérgio rejeitou no sábado a possibilidade de se demitir do comando técnico da equipa de futebol do Sporting, momentos antes de José Eduardo Bettencourt anunciar a sua demissão de presidente do clube lisboeta.

“Continuarei sempre até me quererem cá. Jamais vou desistir”, assegurou Paulo Sérgio, em conferência de imprensa realizada no Estádio José Alvalade, em Lisboa, após a derrota por 3-2 na recepção ao Paços de Ferreira, em jogo da 16.ª jornada da Liga.

Paulo Sérgio, que recusou comentar uma alegada visita de Bettencourt ao balneário da equipa no fim do encontro, reconheceu que a sua posição ficou mais fragilizada, mas defendeu que tem condições para continuar a liderar o futebol “leonino”.

Momentos depois de Paulo Sérgio ter reafirmado a vontade de permanecer em Alvalade, o presidente do Sporting sentou-se na mesma mesa para anunciar a renúncia ao cargo, por entender ser “o melhor para a vida” do clube lisboeta.

“Nestes momentos em que levamos pancada de toda a gente é que se vê quem é que tem carácter”, assinalou, lamentando a dualidade de critérios do árbitro Luís Catita, que esteve na génese de “uma partida com demasiadas peripécias, sempre em desfavor do Sporting”.

Paulo Sérgio considerou “inexistente” a grande penalidade da qual resultou o segundo golo dos visitantes, reclamando um castigo máximo não assinalado a favor dos “leões”, que “colocaria o Sporting a vencer por 3-2 e deixaria o Paços de Ferreira reduzido com 10 jogadores”.

“O resultado é tremendamente ingrato e injusto para o que fizeram as duas equipas. Sabemos que não temos uma super-equipa, mas temos uma competitiva e honesta”, advertiu o treinador do Sporting.

Paulo Sérgio considerou que “tudo correu a favor do Paços de Ferreira”, mas reconheceu também mérito aos visitantes, que se mostraram “uma equipa organizada e bem posicionada em campo”.

O treinador dos pacenses, Rui Vitória, observou que os três pontos conquistados no recinto do Sporting “são como ouro”, lembrando que a grande penalidade em Alvalade “foi a primeira em todo o campeonato” assinalada a seu favor.

“Já há algum tempo que merecíamos uma vitória como esta. No final, fomos felizes, mas há que valorizar equipas como o Paços de Ferreira, que chegam a um campo como o do Sporting e têm este desempenho”, frisou Rui Vitória.