Liga

A locomotiva esteve perra e teve de sofrer para manter-se na perseguição ao líder

Cardozo marcou o livre que deu o golo do Benfica
Foto
Cardozo marcou o livre que deu o golo do Benfica Rafael Marchante/Reuters

Jorge Jesus não se cansa de anunciar que o Benfica da época passada está de volta, mas este domingo em Coimbra viu-se uma versão mais discreta e nervosa da equipa “encarnada”. A formação da Luz teve de sofrer para vencer e conquistar os três pontos, embora com um golo duplamente ilegal.

A Académica entrou em campo em protesto. O clube de Coimbra associou-se à reivindicação dos utentes da Linha da Lousã e, antes do início da partida, os jogadores vestiram camisolas com a mensagem “Queremos o Metro”. Desde 2009 que o centenário ramal está desactivado – os carris arrancados, como lembrou o cronista Pedro Mexia nas páginas deste jornal, no sábado – e o serviço ferroviário substituído por autocarros. A situação tornou-se mais trágica com a suspensão do projecto pelo Orçamento do Estado para 2011, que extinguiu a empresa Metro Mondego e ditou a integração na Refer.

A Académica entrou em protesto, e ainda não sabia que ia ter mais motivos para protestar. Os anfitriões chegaram ao intervalo a perder e sem terem criado perigo para a baliza de Roberto – a equipa de José Guilherme abordou a partida com uma atitude expectante e espreitando o contra-ataque. Demasiado tímida para incomodar a defesa “encarnada”, a formação de Coimbra ficou em desvantagem aos 19’. Consequência da superioridade do Benfica, mas também de uma dupla ilegalidade: no seguimento de um livre de Cardozo, Saviola – em fora de jogo e tocando a bola com a mão – desviou a bola para a baliza.

A equipa da casa esboçou uma reacção (Miguel Fidalgo, 27’), mas foi o Benfica que esteve perto de voltar a marcar. Salvio, aos 24’ falhou de maneira incrível e Cardozo, cinco minutos depois, imitou o argentino.

Não houve mais golos, mas houve outra contrariedade para a Académica, que passou a jogar em inferioridade numérica aos 36’, por expulsão de Pape Sow. O defesa senegalês levantou demasiado o pé e atingiu Cardozo, vendo o cartão vermelho directo. Obrigado a repor o equilíbrio no sector defensivo, José Guilherme abdicou do único avançado, Miguel Fidalgo, para colocar o central Luiz Nunes.

O Benfica voltou a entrar melhor na segunda parte, mas a Académica, mesmo com um jogador a menos, foi equilibrando a partida. Cardozo (66’) teve oportunidade para fazer o 2-0, mas pouco depois foram os anfitriões que criaram perigo, aproveitando o adormecimento dos lisboetas: Sougou fugiu a David Luiz e serviu Diogo Valente, mas este não conseguiu o desvio. Logo depois, a Académica acertou no poste da baliza de Roberto. Um lance que mereceu a resposta da equipa de Jesus, que também teve uma bola no ferro, aos 73’.

Pouco depois, Elmano Santos voltou a errar, num lance em que terá ficado por assinalar uma grande penalidade na área da Académica.Sem conseguir o segundo golo, o Benfica enervava-se e sofria, mas resistiu e garantiu uma vitória que o mantém a oito pontos do líder FC Porto.

POSITIVOSaviola

Fez o golo da vitória, embora num lance ilegal. O argentino marcou o seu sexto golo nos últimos cinco jogos do campeonato e está em grande forma. Fábio Coentrão também esteve bem e foi uma ameaça constante pela esquerda.


Hélder Cabral

O lateral esquerdo da Académica fez uma boa exibição e é dele o mérito do desempenho mais apagado de Salvio. Diogo Melo também esteve bem, no meio-campo da equipa de Coimbra.


NEGATIVOPape Sow

Viu o cartão vermelho aos 36’ por agressão a Cardozo e deixou a equipa em inferioridade numérica. Tudo o que a Académica não precisava, quando já estava em desvantagem no marcador e com dificuldades em incomodar o Benfica.


Elmano Santos

As duas equipas podem queixar-se da arbitragem de Elmano Santos. Validou ao Benfica um golo duplamente ilegal, e depois deixou por assinalar penálti favorável aos “encarnados”.


Ficha de jogo

Jogo no Estádio Cidade de Coimbra.


Assistência 13.264 espectadores.


Académica

Peiser 6, Pedrinho 6, Berger 7, Habib 4, Hélder Cabral 7, Diogo Gomes 6, Bischoff 5, Diogo Melo 6, Sougou 6 (Júnir Paraíba -, 81’), Miguel Fidalgo 6 (Luiz Nunes 6, 39’) e Diogo Valente 6 (Laionel -, 78’). Treinador José Guilherme.

Benfica

Roberto 6, Rúben Amorim 6 (Maxi Pereira -, 87’), Luisão 7, David Luiz 7, Fábio Coentrão 7, Salvio 6, Carlos Martins 6 (Aimar 6, 66’), Airton 6, Gaitán 6, Saviola 7 (Franco Jara -, 81’) e Cardozo 7. Treinador Jorge Jesus.

Árbitro

Elmano Santos 4, da Madeira.

Amarelos

Bischoff (17’), Hélder Cabral (20’), David Luiz (30’), Fábio Coentrão (35’ e 90’+1’).

Vermelho directo

Habib (36’).

Vermelho

Fábio Coentrão (90’+1’).

Golos

0-1, por Saviola, aos 19’

Notícia actualizada às 23h23