Colocação privada

China já comprou 1,1 mil milhões de euros de dívida a Portugal

Presidente da China, Hu Jintao, esteve em Portugal em Outubro
Foto
Presidente da China, Hu Jintao, esteve em Portugal em Outubro Rui Gaudêncio

O Dow Jones avança hoje que a China comprou a Portugal 1,1 mil milhões de euros de dívida pública numa operação de venda directa.

Na sexta-feira, o Ministério das Finanças tinha confirmado à Reuters que haveria uma operação de venda directa de dívida pública. Na altura, não tinham sido indicados nem os destinatários nem os montantes em causa.

A notícia avançada hoje pela agência financeira norte-americana, com representação em Portugal, cita, a partir do escritório de Lisboa, uma fonte anónima ligada ao processo.

A China já se mostrara disponível para comprar títulos do Tesouro e apresentava-se como o comprador mais óbvio, principalmente desde que o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, realizou, no final do ano passado, uma visita à China. A ideia era acertar a forma como Pequim, através das suas reservas, poderia emprestar dinheiro ao Estado português.

De acordo com os dados de registo da agência financeira Bloomberg, Portugal efectuou duas colocações privadas de dívida nas últimas semanas. Uma delas concretizou-se hoje, no valor de mil milhões de euros e com maturidade a um ano e meio. A outra colocação privada tem data de registo de 17 de Dezembro, também no valor de mil milhões, mas com maturidade a um ano. Este tipo de operações é diferente dos leilões de dívida, como o realizado hoje, em que os investidores podem fazer ofertas de empréstimo e em que o Estado português acaba por seleccionar as taxas de juro mais baixas.

Pequim tem mostrado estar disponível para comprar dívida europeia, como no caso da Grécia e da Espanha, numa altura em que lhe é favorável manter o euro mais forte em relação ao dólar norte-americano, para assim poder limitar a valorização da sua moeda (que se mantém ligada ao dólar) e beneficiar as exportações para o mercado único (que têm encarecido). .Na semana passada, o
El País escrevia que a China estaria a prepara-se para comprar seis mil milhões de euros em dívida pública espanhola, o que, para os analistas, ajudaria a restaurar a confiança dos investidores.

Notícia actualizada às 20H15