Vila do Conde vai ter um Estaleiro para incentivar criação na música e no cinema

Foto
Legenda Fotógrafo

O projecto Estaleiro começa em Janeiro de 2011 e prolonga-se durante vinte meses na cidade de Vila do Conde que será o palco e a sala de vinte ateliers, vinte concertos e vinte filmesO projecto Estaleiro começa em Janeiro de 2011 e prolonga-se durante vinte meses. Cidade será lugar de produção, palco e a sala de vinte filmes, vinte concertos e vinte ateliers

Tornar Vila do Conde numa gigante escola de música, cinema e audiovisual é o que a Curtas-Metragens, Cooperativa de Produção Cultural espera conseguir com a abertura do Estaleiro. Após quase 20 anos do primeiro Curtas Vila do Conde, a mesma equipa avança agora com um novo projecto com o objectivo de âncorar novas dinâmicas culturais na cidade, de forma mais permanente.

Pensado numa fase inicial como uma bienal, o Estaleiro evoluiu para uma plataforma de criação e oferta cultural com uma duração de vinte meses, em que a programação (regular) se divide em três âmbitos diferentes -Animar, Campus e Cinema Expandido - explicou ao PÚBLICO Dario Oliveira, um dos fundadores do Curtas Vila do Conde e mentor do novo projecto.

O programa Animar pretende funcionar como camada de sensibilização, promovendo actividades diversas, desde espectáculos dirigidos a um público infanto-juvenil (os Clã são uma das bandas integradas neste projecto, a quem o Estaleiro encomendou musicas originais para crianças) até exposições, ateliers e oficinas nas escolas.

Campus será um programa mais ambicioso; envolve as Universidades do Minho e Porto (Mestrados ligados às Artes, Comunicação e Audiovisual), e outros criadores como pequenas produtoras e artistas. Funcionará "exactamente como um campus universitário, onde as pessoas que têm projectos poderão desenvolve-los". Tem como objectivo proporcionar um intercâmbio de experiências profissionais entre artistas conceituados e jovens criadores, ao longo de um calendário de 20 meses: "Serão criadas condições de produção, vamos ter equipamentos, professores e vamos criar, portanto, uma escola num sistema pouco convencional, de workshops e de ateliers durante todo o festival" afirmou Dario Oliveira.