Liga

Regresso de Óscar Cardozo dá novo balão de oxigénio ao Benfica

Cardozo elevou para cinco o número de golos na Liga
Foto
Cardozo elevou para cinco o número de golos na Liga Foto: José Manuel Ribeiro/Reuters

Dois golos, uma assistência para Saviola e um regresso em cheio de Cardozo. O paraguaio foi a figura do Benfica, que venceu neste domingo em Aveiro o Beira-Mar, por 3-1. Com este triunfo, os “encarnados” isolaram-se no segundo lugar e reduziram para oito pontos a distância para o FC Porto.

Quando uma equipa está instável, os adeptos descontentes, os principais jogadores parecem desvalorizados e os objectivos da época começam a fugir, qual é a melhor coisa que pode acontecer antes de mais uma “final”? Ter um adversário que só arrisca quando está a perder e ver a concorrência falhar. Quando subiu ao gelado relvado de Aveiro, o Benfica já sabia que metade da equação estava resolvida (perda de pontos de FC Porto, Sporting e V. Guimarães) - a outra (inabilidade do Beira-Mar) foi confirmada mais tarde.

Após o pesadelo de Telavive, o Benfica regressou a um palco de más recordações. Se agora os “encarnados” chegaram a Aveiro sob a desconfiança dos adeptos, no início de Agosto Jorge Jesus e companhia entraram no estádio debaixo de enorme euforia pela conquista do título e por uma pré-época que deixou “água na boca” aos benfiquistas. Nessa ocasião, a expectativa terminou em desilusão (derrota na Supertaça); agora a relutância sobre as capacidades da equipa acabou numa (aparente) trégua. A exibição foi agradável, a distância para o líder reduzida e o Benfica pode respirar mais uma semana de forma menos sôfrega.

Ao contrário do que aconteceu em Israel, foi prudente. Com Carlos Martins a fazer o papel do lesionado Aimar, o treinador fortaleceu o meio-campo com Ruben Amorim (saiu Salvio) e, na frente, Cardozo regressou à titularidade após dois meses de ausência na Liga. Se a entrada do paraguaio e de Martins não mexeu na estrutura, com Amorim os “encarnados” ganharam outra consistência. No Beira-Mar a surpresa foi a aposta (falhada) em Sérgio Oliveira. O jovem emprestado pelo FC Porto foi titular pela primeira vez, mas passou ao lado da partida.

O jogo teve domínio benfiquista desde o primeiro apito de Bruno Paixão, que foi protagonista aos 13’: Gaitán rematou à barra, o Benfica ganhou um canto, Luisão rematou de cabeça, o defesa aveirense Pedro Moreira cortou com o braço e o árbitro mandou seguir. Perante uns aveirenses inofensivos, Martins (23’ e 34’) e Saviola (26’) estiveram perto do golo, mas apenas no último lance do primeiro tempo os “encarnados” marcaram: Kanu agarrou na área Cardozo, desta vez Paixão marcou a penalidade e o paraguaio fez o 1-0.

O segundo tempo começou com duas perdidas escandalosas para ambos os lados (Cardozo aos 46’ e Ronny aos 49’). O Beira-Mar tornou-se mais atrevido, esteve perto do empate por Ronny (55’), mas o Benfica acabou com o jogo em sete minutos. Aos 59’, Cardozo fez um grande golo com um remate em arco e, aos 66’, assistiu Saviola para o 3-0.

O vencedor estava encontrado, mas antes de a partida acabar Rui Varela marcou de cabeça e confirmou as debilidades do Benfica esta época em lances de bola parada.

Ficha de jogo

Beira-Mar 1
Benfica
3

Jogo no Estádio Municipal de Aveiro . Assistência cerca de 15 mil espectadores.

Beira-Mar

Rui Rego 5, Pedro Moreira 5, Kanu 4, Hugo 6, Renan 6, Rui Sampaio 5, Djamal 6, Leandro Tatu 4 (Rui Varela 5, 72’), Sérgio Oliveira 4 (Maranhão 5, 63’), João Luiz 5 e Ronny 5 (Wilson Eduardo -, 81’). Treinador Leonardo Jardim

Benfica

Roberto 6, Maxi Pereira 6, Luisão 6, David Luiz 6, F. Coentrão 6, Javi Garcia 5, Carlos Martins 6 (Salvio -, 82’), R. Amorim 7, Gaitán 7, Saviola 6 (Jara -, 86’) e Cardozo 7 (Kardec -, 77’). Treinador Jorge Jesus

Árbitro Bruno Paixão 4, de Setúbal.Amarelos Kanu (45+2’), Rui Varela (89’), Pedro Moreira (90’) e Fábio Coentrão (90+2’).

Golos

0-1, por Cardozo, aos 45+2’;


0-2, por Cardozo, aos 59’;


0-3, por Saviola, aos 66’


1-3, por Rui Varela, aos 85’.


POSITIVOCardozo

Apesar de ter estado dois meses ausente por lesão, Óscar Cardozo já leva cinco golos na Liga e foi decisivo na vitória do Benfica em Aveiro.


Ruben Amorim

A equipa benfiquista ganhou muito com a titularidade do médio. Não é Ramires, mas disfarça o buraco que o brasileiro deixou.


NEGATIVOBruno Paixão

Gosta de ser protagonista nas partidas que arbitra e Aveiro não foi excepção. Um penálti não marcado favorável ao Benfica e erros atrás de erros num jogo fácil. Bruno Paixão insiste em mostrar que é um dos piores árbitros da Liga.


Kanu

O defesa central brasileiro foi um dos principais pontos fracos dos aveirenses.


Notícia em actualização