Condenado a prisão perpétua

Líder religioso radical Omar Bakri detido no Líbano

As autoridades libanesas detiveram hoje em Trípoli, no Norte do país, o líder religioso radical islamista Omar Bakri, condenado três dias antes por um tribunal militar a prisão perpétua pelos crimes de incitamento a homicídio e actos terroristas.

“Foi capturado por uma patrulha dos serviços de segurança interna na casa que tem em Trípoli. E a sua transferência para Beirute está já em curso”, explicou um responsável das forças de segurança libanesas, citado pela agência noticiosa francesa AFP.

Omar Bakri, oriundo da Síria, foi julgado à revelia e condenado, na quinta-feira, a par de mais 46 arguidos – libaneses, palestinianos e sauditas –, todos membros de um grupo rebelde que visava enfraquecer a autoridade do Governo libanês, de acordo com os autos do processo que levou mais de três anos a ser julgado.

Ainda sexta-feira Bakri revelava pouco temer, tendo afirmado à AFP que não passaria “nem um dia na prisão”. “Não me vou apresentar em tribunal nenhum. Não acredito na lei, nem no Reino Unido nem no Líbano”, afirmou, numa alusão aos 20 anos em que viveu em território britânico (onde se encontra agora banido), antes de regressar ao Líbano em 2005, logo após os ataques terroristas de Londres.

Bakri, de 50 anos, avançou desde então que pretende recorrer da sentença que lhe seria emitida, mantendo ser inocente das acusações contra ele formuladas: incitamento a homicídio, terrorismo, roubo, posse ilegal de armas e explosivos.

Sugerir correcção