Liga

Presidente do Sp. Braga critica arbitragem “vergonhosa e sem coragem”

António Salvador  lamentou “o espectáculo degradante” motivado por uma “arbitragem tendenciosa”
Foto
António Salvador lamentou “o espectáculo degradante” motivado por uma “arbitragem tendenciosa” Fernando Veludo / nFactos (Arquivo)

O presidente do Sporting de Braga classificou hoje de “vergonhosa e sem coragem” a arbitragem de João Ferreira no jogo com o Vitória de Guimarães, da 11.ª jornada da Liga de futebol, que os vitorianos venceram (2-1).

António Salvador quer mesmo que o presidente do Conselho de Arbitragem, Vítor Pereira, “tenha a coragem de analisar este jogo e dar uma explicação sobre o que se passou”.

O dirigente bracarense lamentou “o espectáculo degradante” motivado por uma “arbitragem tendenciosa” sobretudo na expulsão de Alan, que considerou injusta, e no primeiro golo do Vitória precedido por uma falta sobre Luís Aguiar e um fora de jogo de Ricardo que “estorva” a visão de Felipe, defendeu.

Salvador revelou ainda que, antes do jogo, João Ferreira disse ao delegado da Liga e aos capitães de equipa que se houvesse arremesso de objectos “interromperia imediatamente o jogo e acabava-o”.

“Onde está a coragem dele quando o nosso guarda-redes levou com várias bola de golfe e um nosso treinador adjunto levou com um telemóvel na cabeça?”, questionou.

“Temos estado calados, mas não é a primeira vez que o Braga foi prejudicado, temos perdido muitas vezes por culpa própria, mas muitas porque não nos deixam por arbitragens tendenciosas”, apontou.

António Salvador acusou ainda “dirigentes do Vitória de terem incentivado à violência” durante a semana e garantiu que a “equipa não está fragilizada” e que “as derrotas e o que aconteceu hoje vai unir ainda mais o grupo”.