Iniciativa vencedora do Green Project Awards

Projecto Óbidos Solar pode estar ameaçado por falta de financiamento

O projecto prevê a instalação de sistemas de microgeração em 1500 fogos
Foto
O projecto prevê a instalação de sistemas de microgeração em 1500 fogos Pedro Cunha (arquivo)

O projecto Óbidos Solar, vencedor do Green Project Awards (GPA) 2010 e que abrange actualmente 200 fogos, poderá estar em risco por causa de falta de financiamento aos sistemas de microgeração, teme a Câmara Municipal.

“Temos a microgeração instalada em 200 fogos, mas a recente alteração da legislação impede-nos de inscrever mais famílias por que limita aos bancos e instituições de crédito o financiamento destes projectos”, disse ontem o vereador do Ambiente na Câmara de Óbidos, Humberto Marques. Actualmente, segundo o autarca, há “mais cerca de 500 famílias” interessados em aderir.

O projecto lançado pelo município em Junho de 2009 prevê a instalação de sistemas de microgeração (produção de energia com recurso a energias renováveis) em 1500 fogos, num investimento superior a 37 milhões de euros. O sistema assenta numa parceria entre a autarquia e empresas na área das energias renováveis, para candidatarem a instalação de painéis fotovoltaicos e solares térmicos nas habitações.

As empresas responsabilizam-se pelo investimento que oscila entre os 24 e os 30 mil euros por unidade de microgeração cabendo ao munícipe uma comparticipação inferior a mil euros.

“Não fosse o problema do registo e teríamos mais algumas centenas de candidaturas inscritas”, referiu o vereador.

Através da microgeração, a autarquia estima que as famílias consigam poupar 75 por cento da factura energética (com o aquecimento de águas sanitárias) e recebam nos primeiros nove anos 25 por cento da receita da venda de energia à EDP. Após este período de concessão as famílias passam a receber a totalidade da venda de energia.

“Além da vertente económica e ambiental, a vertente social pesou muito no reconhecimento do projecto que apoia famílias com menos posses e lhe possibilita ganhos económicos”, constatou o autarca.

A Câmara já solicitou à Secretaria de Estado da Economia e Inovação a alteração da lei.

O Óbidos solar integra-se no programa “Óbidos Carbono Social”, que desde de 2007 monitoriza as emissões de dióxido de carbono (CO2) no concelho e desenvolve medidas integradas que conduzam à sua redução.

Vencedor do Green Project Awards 2010 o projecto foi escolhido entre meia centena de candidatos à categoria de Produto/Serviço. Os prémios foram entregues na quarta-feira na Culturgest, em Lisboa, numa cerimónia presidida pela ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território, Dulce Pássaro.