O Instituto da Droga e da Toxicodependência em números

10.300

pessoas procuraram no ano passado tratamento através do Instituto da Droga e da Toxicodependência, dois a três mil das quais por consumo abusivo de bebidas alcoólicas. Em 2008, havia 38 mil doentes a fazer tratamento. O aumento estará relacionado com um maior acesso aos serviços, mas também com a crise.

23,3 milhões

é quanto no Orçamento do Estado 2010 se prevê gastar em despesas com pessoal dos quadros do Instituto da Droga e da Toxicodependência. Os gastos com pessoal contratado a termo certo deverão, desta vez, ficar-se pelos 938.309 mil euros. O Orçamento do Estado prevê ainda 31.700 mil euros com pessoal a aguardar aposentação e 2.119.153 com pessoal em qualquer outra situação.

1565

é o número de efectivos, segundo o presidente do Instituto da Droga e da Toxicodependência. O orçamento do ano passado refere 1730 trabalhadores, mas estaria a contar com os precários que aquela estrutura tem ordens para dispensar. Há um presidente, sete vogais e delegados regionais, 12 directores de serviço e subdelegados regionais e 58 directores intermédios de segundo grau.

526 mil

é quanto, ao fazer o Orçamento do Estado 2011, se pensou que o Instituto da Droga e da Toxicodependência irá gastar em instalações. A limpeza e a higiene levará 464.318. A locação de edifícios outros 434.261.