Três estudantes polacos entre os quatro mortos no IP4

Foto
O IP4 esteve cortado ao trânsito durante três horas PAULO RICCA

Choque frontal entre viatura ligeira e autocarro camarário causou ainda dez feridos ligeiros. Há uma terceira viatura envolvida

As quatro vítimas mortais do violento acidente de ontem de manhã, no Itinerário Principal n.º 4 (IP4), perto de Vila Real, tinham idades compreendidas entre os 23 e os 40 anos. Três eram estudantes polacos, integrados na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) ao abrigo dos programas de mobilidade Erasmus e Sócrates. O condutor, mais velho, seria do Porto. Do acidente resultaram ainda 11 feridos ligeiros.

As circunstâncias em que se deu o choque frontal que tirou a vida a duas mulheres e dois homens e provocou ferimentos ligeiros em dez jovens futebolistas ainda não estão completamente esclarecidas. Contudo, a hipótese mais provável, defendida pelas autoridades no local, é que o início da tragédia se começou a desenhar com uma ultrapassagem, pouco antes das 11h00.

Uma viatura ligeira, que seguia no sentido Vila Real-Amarante, ter-se-á despistado ao ultrapassar o autocarro da Câmara Municipal de Vila Real, que transportava a equipa juvenil de futebol Abambres Sport Clube, para mais um jogo, em Vila das Aves. Este despiste terá provocado um toque da viatura ligeira numa outra, de marca Skoda, que seguia em sentido inverso (Amarante-Vila Real), e que também se despistou, chocando frontalmente com o autocarro. Os quatro ocupantes do Skoda morreram no local.

António Silva, pró-reitor da UTAD para o Desenvolvimento e Internacionalização, confirmou ao PÚBLICO que as duas jovens e o rapaz, todos com 23 anos, eram estudantes polacos da Universidade de Wroclaw, que se encontravam na UTAD ao abrigo do programa Erasmus. "A indicação que temos é que eles teriam ido ao Porto, numa visita, e tinham apanhado boleia de regresso para Vila Real", diz. Os três integravam, desde há três semanas, o curso de Ciências do Desporto.

O pró-reitor acrescenta que "é normal" os estudantes Erasmus aproveitarem os dias livres para saírem de Vila Real, e conhecerem outros pontos de país. Ontem, vários deles estavam, por isso, fora da cidade. "Já estamos a contactá-los a todos e a aconselhá-los a regressar, para que lhes seja prestado todo o aconselhamento necessário. Há alguns que estão no Algarve", diz. António Silva refere que esta é a primeira vez que um acidente com estas dimensões atinge estudantes do programa Erasmus da UTAD, apesar de não ser a primeira vez que outros membros do estabelecimento de ensino superior perdem a vida no IP4. "A Academia está de luto", afirma.

Onze feridos ligeiros

A Embaixada da Polónia em Lisboa já foi contactada e deverá ser ela a informar, formalmente, os familiares das vítimas polacas e a tratar dos preparativos para a trasladação dos corpos.

Além destas quatro vítimas mortais, o choque de ontem provocou ainda ferimentos ligeiros em dez ocupantes do autocarro - o condutor e nove elementos da equipa de futebol. Fonte da GNR indica que o condutor da terceira viatura envolvida no acidente também deverá ser contabilizado como ferido. "Mesmo não tendo danos físicos, psicológicos tem de certeza", disse.

O IP4 esteve cortado ao trânsito, nos dois sentidos, durante mais de três horas, só tendo reaberto pelas 14h30. No local estiveram as corporações de bombeiros da Cruz Branca e da Cruz Verde, de Vila Real.