Orçamento do Estado

Corte nos salários da função pública economiza mil milhões

Foto: Enric Vives-Rubio arquivo
Foto
Foto: Enric Vives-Rubio arquivo

O ministro das Finanças concretizou ontem os valores da poupança que estima vir a atingir com as medidas de austeridade anunciadas a semana passada pelo primeiro-ministro. O Conselho de Ministros serviu para aprovar os decretos-lei que darão corpo aos cortes definidos pelo Governo.

Segundo o ministro a redução salarial de cinco por cento deverá permitir poupar cerca de mil milhões de euros. As contas daquele governante adivinham ainda 250 milhões de euros de redução de gastos nas medidas relativas à segurança social. O aumento de um por cento da contribuição para a Caixa Geral de Aposentações economizará outros 140 milhões.

Pela redução das ajudas de custo e subsídios de transporte, redefinição de trabalho extraordinário e nocturno, Teixeira dos Santos estima uma poupança entre os 50 e 60 milhões.

Teixeira dos Santos anunciou ainda outras medidas aprovadas no Conselho de Ministros no mesmo espírito de contenção. Foi decidida a extinção do subsistema de Saúde do Ministério da Justiça e consequente transferência de trabalhadores e aposentados para o sistema ADSE. E reduziu-se o limite máximo de sete para cinco dos membros dos conselhos de Administração dos Hospitais (E.P.E.).