Carlos Costa não se pronunciou sobre eventual recessão

Governador do Banco de Portugal vê propostas do Governo como “passo importante”

Carlos Costa
Foto
Carlos Costa Foto: José Manuel Ribeiro/Reuters/arquivo

O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, considerou hoje que as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo são “um passo importante”, mas que agora o importante é o consenso político necessário para as aplicar.

“O conjunto extenso de medidas orçamentais anunciado na semana passada constitui um o passo importante no sentido de credibilizar a estratégia de consolidação orçamental. Mas não basta. Torna-se absolutamente crucial encontrar um consenso político credível para o Orçamento de 2011”, disse Carlos Costa durante o XX encontro de delegações dos bancos centrais dos países de língua portuguesa (PALOP).

Na sua opinião, as medidas propostas pelo Governo são suficientes para as necessidades orçamentais do próximo ano mas não se compromete com uma opinião sobre se haverá ou não uma recessão no próximo na. “As previsões são no dia 7”, disse.

Sendo “óbvio que vai haver uma desaceleração da procura interna”, o governador tem esperança em que as exportações compensem a curto prazo esta quebra. “A desaceleração da procura interna acaba por ser desejável porque a economia portuguesa tem de reforçar a poupança e apostar na procura externa”, disse ainda.