Futebol

Carlos Queiroz “bastante satisfeito” com decisão do TAD, diz advogado

O advogado de Queiroz afirma que as decisões têm “reposto justiça”
Foto
O advogado de Queiroz afirma que as decisões têm “reposto justiça” Pedro Cunha (Arquivo)

Carlos Queiroz está “bastante satisfeito” com a decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) de aceitar o pedido de efeito suspensivo do castigo aplicado pela Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP), disse hoje o advogado do ex-seleccionador de futebol.

“[Carlos Queiroz] Ficou satisfeito com esta decisão. Estamos ambos bastante satisfeitos com a decisão do TAD”, afirmou à Agência Lusa Rui Patrício, considerando que nos últimos dois dias as decisões favoráveis ao ex-seleccionador têm “reposto justiça”.

De acordo com o advogado, o TAD aplicou a jurisprudência habitual nestes casos, analisando dois factores: se há uma probabilidade de quem recorre de vencer o recurso e se o facto de a suspensão imediata por seis meses poder causar um prejuízo irreparável a quem recorre.

O advogado sublinhou que o TAD entendeu “que há essa probabilidade” de Queiroz ganhar o recurso e que a suspensão imediata “causava” um “prejuízo irreparável”, pelo que, “com as duas razões conjugadas, decidiu suspender a suspensão enquanto o recurso estiver pendente”.

Quinta-feira, o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou a anulação da suspensão por um mês que o Conselho de Disciplina tinha aplicado a Queiroz, ao considerar o processo prescrito por lhe ter dado um novo enquadramento legal, inserindo a acção do ex-seleccionador na categoria das “infracções leves”.

Deste modo, Carlos Queiroz não é de momento alvo de qualquer suspensão, pelo que “pode trabalhar livremente”, afirmou o causídico.

O processo da ADoP prossegue, no entanto, em análise no TAD, que irá tomar uma decisão final sobre se mantém ou revoga a decisão de suspender Queiroz por meio ano, o que “ainda poderá demorar alguns meses”, de acordo com Rui Patrício.

A ADoP anunciou a 30 de Agosto a suspensão de Carlos Queiroz por seis meses, por considerar que o seleccionador nacional tinha perturbado a acção de uma brigada do organismo que efectuou um controlo antidoping à selecção a 16 de Maio, durante o estágio para o Mundial realizado na Covilhã.

A 19 de Agosto, o Conselho de Disciplina da FPF anunciou a punição do seleccionador nacional com uma suspensão por um mês e uma multa de 1000 euros, devido aos insultos proferidos à brigada da ADoP, ao presidente deste organismo, Luís Horta, e à mãe deste durante o controlo.

Carlos Queiroz falhou, por isso, os jogos de qualificação para o Euro 2012 com o Chipre (4-4 em Guimarães) e a Noruega (derrota por 1-0 em Oslo), disputados a 03 e 07 de Setembro, nos quais a equipa foi orientada pelo adjunto Agostinho Oliveira.

A 09 de Setembro, a FPF anunciou o seu despedimento, através da resolução do respectivo contrato, e terça-feira, anunciou a contratação de Paulo Bento como seleccionador nacional até Julho de 2012.