Objectivo foi reinvidicar mais direitos para as mulheres

Eurodeputada italiana participa em sessão parlamentar com a bebé ao colo

Licia Ronzulli, que foi aplaudida pelos colegas
Foto
Licia Ronzulli, que foi aplaudida pelos colegas Vincent Kessler /REUTERS

Uma eurodeputada italiana – próxima do primeiro-ministro Silvio Berlusconi – sentou-se hoje na sessão plenária do Parlamento Europeu com a filha de mês e meio ao colo, para reivindicar mais direitos para as mulheres que são mães e trabalham.

“Estou aqui simbolicamente com a minha filha Vitória para lembrar todas as mulheres que não podem conciliar serenamente gravidez e emprego, vida profissional e vida familiar”, disse Licia Ronzulli, que foi aplaudida pelos colegas.

Em seguida, sempre com a pequena Vitória, nascida a 10 de Agosto, apertada junto ao peito, reivindicou mais direitos para as mulheres, relata a AFP: “Desejaria ver mais empenho das instituições europeias neste assunto, a começar pelo Parlamento Europeu, para que todos pudéssemos levar a bom porto estas duas vias”, disse Ronzulli, que integra o grupo parlamentar conservador do Partido Popular Europeu.

Ronzuli, de 35 anos, foi eleita pelo Povo das Liberdades, de Berlusconi. Aliás, diz-se que terá conhecido o primeiro-ministro quando era sua fisioterapeuta, e tratava de o reabilitar, após uma das suas muitas cirurgias plásticas. A eurodeputada faz parte do polémico grupo de candidatas jovens e bonitas, mas não conhecidas pelo currículo político, que "il Cavaliere" resolveu apresentar a concorrer nas últimas eleições europeias.

A comissária europeia da Justiça e dos Direitos Humanos, Viviane Reding, apresentou esta terça-feira em Estrasburgo a estratégia europeia sobre igualdade entre homens e mulheres para os próximos cinco anos. O documento inclui várias recomendações para aumentar o emprego feminino, promover uma maior presença das mulheres nos cargos de chefia nas empresas, reduzir as diferenças salariais entre homens e mulheres e lutar contra a violência de género.