Primeiro dicionário de Língua Gestual tem 15 mil imagens

Foto
Em Portugal, a comunidade surda abrange cerca de 100 mil pessoas PAULO PIMENTA

Pedro Pires usa todos os dedos das duas mãos em movimento para dizer que não sabe ainda se vai comprar o primeiro dicionário de Língua Gestual, apresentado ontem no Porto. O aluno da Escola EB 2/3 de Paranhos, 14 anos, é surdo e admite que pode ser uma ferramenta útil para aprender mais e melhor sobre a Língua Portuguesa onde reconhece algumas limitações mas, de resto, sobre o outro lado (dos gestos) refere que tem a lição bem aprendida desde muito pequenino. Ana Bela Baltazar, autora do primeiro dicionário de Língua Gestual Portuguesa, publicado pela Porto Editora, acredita que esta obra vai servir a comunidade surda e os ouvintes.

Pedro está na sua escola, um estabelecimento de referência no ensino bilingue. Sobre as conversas com os amigos ouvintes refere que até hoje valeram-lhe algumas "dicas" que deu sobre a Língua Gestual e muita mimíca. Mas isso não chega, avisa Ana Bela Baltazar. "Saindo dos portões da escola não vão encontrar ninguém que lhes explique seja o que for em língua gestual. E isso vai-lhes acontecer pela vida fora". Por isso, defende a autora, surdos e ouvintes precisam deste dicionário. Para comunicar, ou seja, para ficar mais perto. Ângelo Costa, presidente da Associação de Surdos do Porto, agradeceu a Ana Bela Baltazar: "É um passo importante na biblioteca das pessoas surdas. É uma obra de grande importância". Em Portugal a comunidade surda envolve cerca de 100 mil pessoas. Muitas, lembra Ana Bela Salazar, "estão isoladas e ainda são tratadas como atrasadas mentais".

O livro de capa preta com a imagem de dois dedos a caminhar na palma de uma mão é o resultado de quatro anos de trabalho da intérprete de língua gestual Ana Bela Baltazar. A obra com 1168 páginas custa 33,31 euros e inclui 5200 entradas de palavras e 15 mil imagens. Num mundo sem som onde existem conceitos e significados que podem ser ditos num gesto, pretende-se que esta obra ajude a enriquecer o vocabulário da comunidade surda que, por vezes, não reconhece algumas palavras escritas da língua portuguesa. Assim, ali se explica com imagens dos gestos e ajuda de um DVD - "a língua gestual tem movimento, perde-se parada num papel" - o significado de algumas palavras. Por outro lado, para quem queria aprender (com descrições pormenorizadas) a língua gestual portuguesa - a Constituição da República reconhece, desde 1997, que a LGP é uma língua oficial - Ana Bela Baltazar criou um guia de aprendizagem inédito no país. Até agora, explica a autora, não existia nada que pudesse ajudar alguém a aprender língua gestual sem frequentar aulas. Finalmente, Ana Bela Baltazar acredita que este dicionário pode ser um apoio importante para os alunos surdos, numa altura em que estes estão a ser encaminhados para as escolas de referência que podem ficar a quilómetros de casa e que, assim, podem afastar estas crianças das aulas.