O cinema e as outras artes no Estoril Film Festival

Pedro Martinho
Foto
Pedro Martinho

Lou Reed e Laurie Anderson, John Malkovich, Anderszewski e Baltasar Garzón são alguns dos convidados; a partir de 5 de Novembro há cinema, fotografia, debates e moda no Estoril

A quarta edição do Estoril Film Festival, a decorrer no Estoril e em Cascais de 5 a 14 de Novembro, abrirá com a exposição Romanticism - fotografias de Lou Reed e com a exibição do seu documentário "Red Shirley", sobre Shirley Novick, uma sua prima que deixou a Polónia em 1938. O anúncio foi feito ontem, em conferência de imprensa, pelo director, Paulo Branco. Esta exposição composta por fotografias a preto e branco, de paisagens e arquitecturas, pôde ser vista pela primeira vez na Steven Kasher Gallery, em Nova Iorque, em Dezembro.

O músico norte-americano, que há um mês era o convidado principal do Festival de Literatura Internacional de Paraty, mas cancelou a sua ida já com os bilhetes para a sua sessão esgotados, virá ao festival acompanhado da mulher, a artista Laurie Anderson, que é um dos membros do júri da competição oficial do festival de cinema que no ano passado teve cerca de 25 mil espectadores.

Também John Malkovich terá uma exposição no Estoril Film Festival com os seus croquis, os desenhos da colecção de roupa que criou: a Uncle Kimono. Acontecerá ainda um desfile de moda com as suas criações - provavelmente com actores portugueses - e a exibição das três curtas-metragens que fez para a designer de moda londrina Bella Freud. A filha do artista Lucien Freud é também uma das convidadas do festival, faz parte do júri da competição oficial onde estão também o pianista polaco Piotr Anderszewski (que dará um concerto); o chef de cozinha do restaurante Arzak, em San Sebastian, Juan Mari Arzak; o fundador dos Mão Morta, Adolfo Luxúria Canibal, e a actriz italiana Valeria Golino.

Uma das inovações desta edição - que tem o mesmo orçamento das edições anteriores, cerca de 3,5 milhões de euros - é que as sessões, exposições, concertos e master classes decorrerão não só no Centro de Congressos e no Casino, mas também em outras salas, como a Casa das Histórias Paula Rego. Nesta edição em competição estão, para já, filmes como: "A Espada e a Rosa", de João Nicolau; "Aurora", de Cristi Puiu, e "The Autobiography of Nicolae Ceausescu", de Andrej Ujica.

Por causa da relação entre o cinema e a actualidade, estará no evento o juiz espanhol Baltasar Garzón que debaterá o papel da justiça perante os grandes ditadores e a influência das imagens nas decisões de justiça. Outro espanhol, o fotógrafo Alberto Garcia-Alix realizou um filme propositadamente para a exposição que realizará em Cascais.

Duas retrospectivas das obras: de Kathryn Bigelow, que este ano recebeu o Óscar de Melhor Realizador, e do realizador palestiniano Elia Suleiman. Várias homenagens: ao realizador Roman Polanski; ao actor Vincent Gallo (se vier dará um concerto); ao cineasta e artista multimédia Chris Marker, com uma mostra "muito completa" da sua obra; à actriz espanhola Marisa Paredes e ao realizador japonês, Koji Wakamatsu, que mostrará "Caterpillar", o seu mais recente filme. E duas homenagens póstumas: a Ruy Duarte de Carvalho e a Werner Schroeter.

Fora da competição serão exibidos "The American", o filme com George Clooney - ontem Paulo Branco disse que "talvez haja uma surpresa de última hora" -, que será apresentado pelo seu realizador, Anton Corbijn, e "Tournèe", de Mathieu Amalric (que também virá). O realizador Otar Iosseliani apresentará "Chantrapas". E Pierre Thoretton mostrará o seu documentário "Yves Saint Laurent - L'Amour Fou". Há ainda "Copie Conforme" de Abbas Kiarostami, "Road to Nowhere", de Monte Hellman, e "Trash Humpers", de Harmonie Korine. Grande parte da obra de Lawrence Weiner será mostrada bem como o mais recente filme de Douglas Gordon.