Selecção

Queiroz: “Este caso não terminou”

No dia em que Laurentino Dias, secretário de Estado do Desporto, falou sobre a suspensão aplicada a Carlos Queiroz, o seleccionador nacional surgiu em público a dizer que o processo "ainda não terminou" e a acusar o governante de se ter "imiscuído" na decisão da Autoridade Antidopagem de Portugal (Adop).

“A lei portuguesa prevê um tribunal de recurso na Suíça e portanto parece óbvio e lógico que o processo não está concluído”, disse Carlos Queiroz, à saída do escritório do seu advogado, repetindo que vai recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) e pedir que o castigo fique suspenso enquanto o apelo é analisado.

Queiroz foi ainda crítico quanto ao papel de Laurentino Dias neste processo, em que a Adop reverteu a decisão do Conselho de Disciplina da federação. “O que é novo nesta intervenção é que se havia dúvidas de que o senhor secretário de Estado se tinha imiscuído no processo, essas dúvidas foram dissipadas”, acusou o seleccionador. “Ninguém pode compreender como o secretário de Estado fez estas considerações e no final diz que concorda e apoia a decisão da Adop, sabendo que o processo ainda não terminou.”

Lembrando que vai apresentar recurso, Queiroz prometeu assumir as suas responsabilidades no final do processo. “E espero que ele [Laurentino Dias] assuma as suas” se o TAD não validar a decisão da Adop.

Queiroz acusou ainda o governante de intromissão na Federação Portuguesa de Futebol, por ter dito que “a boa liderança não se faz com piloto automático”, numa referência às declarações de Gilberto Madaíl. “Não ficaram dúvidas da sua intervenção directa ou indirecta sobre a gestão autónoma da federação, por todas as considerações que fez sobre a forma como o senhor presidente deve gerir a federação.”