Alguns exemplos de imóveis à espera de decisão

Avenida da Liberdade

Em vias de classificação há duas décadas, a Avenida da Liberdade, em Lisboa, é um dos casos bicudos com que as autoridades do património se confrontam. Está a artéria e os respectivos imóveis demasiado descaracterizados para serem classificados? Na tutela, há quem pense que sim. Seja como for, a reavaliação é demasiado complexa para ficar pronta em Janeiro, como exige a lei. "A avenida está descaracterizada e a precisar de uma injecção de auto-estima pública", observa o director regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo. A.H.

Avenida dos Aliados Situado no Porto, o conjunto da Praça da Liberdade, Avenida dos Aliados e Praça do General Humberto Delgado encontra-se à espera de ganhar o estatuto de interesse público há 17 anos. Apesar do parecer favorável do conselho consultivo do Instituto do Património Arquitectónico e Arqueológico de 2008, a classificação continua por atribuir. Existem 52 edifícios no Porto à espera de se tornarem património cultural. Quatro estão em vias de classificação há mais de duas décadas e 15 há mais de uma. A.H.

Foz Velha

Os seus chalets e vivendas elegantes fazem do conjunto de edifícios da Foz Velha, no Porto um local a preservar. A ter lugar, conforme pretende a Direcção Regional da Cultura do Norte. O processo arrancou em 2002. O Mercado do Bolhão (já com despacho de homologação), a Livraria Lello e Irmão, o Coliseu do Porto, a Casa da Música, o Cinema Batalha e o Mercado do Bom Sucesso também esperam decisão. A.H.

Forte de São Sebastião

Em vias de se tornar monumento nacional, o Forte de S. Sebastião, em Castro Marim, está à espera desta distinção desde 1997. "É o melhor exemplo conservado do que foi o amplo processo de renovação do sistema defensivo da vila nos meados do século XVII", descreve a ficha do Igespar. A sua construção deve-se a D. João IV, no âmbito das guerras da Restauração. Juntamente com o castelo, já classificado, o forte é das principais atracções de Castro Marim e está no topo das prioridades da Direcção Regional de Cultura do Algarve, que vai propor a sua classificação. A.H.

Igreja de S. Paulo

A Igreja de S. Paulo, em Elvas, esteve em risco de demolição, em Julho, na sequência de uma decisão do Ministério da Defesa Nacional, alegando o elevado risco de derrocada do edifício. Quando já nada fazia prever um recuo nas pretensões dos responsáveis do ministério, a directora regional da Cultura do Alentejo, Aurora Carapinha, determinou a sua suspensão. C.D.

Sugerir correcção