Para salvar espécies autóctones em caso de descargas poluentes

Poluição: população de Santarém vai vigiar rio Alviela durante o mês de Setembro

A Acção pretende mitigar o impacte de uma possível descarga poluente no rio
Foto
A Acção pretende mitigar o impacte de uma possível descarga poluente no rio PÚBLICO (arquivo)

Durante o mês de Setembro, o rio Alviela vai estar na mira da população de Santarém que é desafiada a vigiar aquele curso de água e salvar espécies de peixes autóctones em caso de descargas poluentes. A iniciativa é lançada oficialmente amanhã pela autarquia.

A Acção SOS Alviela 2010 pretende “mitigar o impacte de uma possível descarga poluente no rio”, nomeadamente junto de espécies como a boga portuguesa (Iberochondrostoma lusitanicum) explica o município em comunicado. Para tal conta com a coordenação de esforços das entidades competentes nos recursos hídricos e das populações, em especial as ribeirinhas.

Segundo a autarquia, os proprietários dos terrenos poderão disponibilizar tanques com água limpa e será constituído um grupo de voluntários para vigiar o rio.

Na verdade, a acção alia as iniciativas previstas no Projecto internacional Rios à vigilância por parte das populações.

O mês de Setembro é “marcado por episódios de poluição grave que resultam na mortandade de peixes” devido à falta de oxigénio nas águas. O cenário deve-se às descargas poluentes, à redução do caudal do rio e ainda às elevadas temperaturas.

Mas esta não é uma iniciativa inédita. No ano passado, a autarquia promoveu a acção SOS Alviela – o nosso rio Alviela não está só. De acordo com a câmara, “não se registaram episódios de mortandades de peixes que se registaram em anos anteriores”.

O Projecto Rios é um projecto que visa a participação social na conservação dos espaços fluviais, procurando acompanhar os objectivos apresentados na Década da Educação das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável.