Moura: peixes mortos aparecem no rio Ardila

A autarquia alertou hoje a Administração da Região Hidrográfica (ARH) do Alentejo e esta já enviou uma equipa para o local “para tirar fotografias e recolher amostras de água”, que vão ser analisadas para se apurarem as causas da morte dos peixes, adiantou à Lusa fonte da instituição.

Os resultados das análises deverão ser conhecidos amanhã, previu a fonte, referindo que a ARH do Alentejo quer saber se a morte dos peixes se deve “à falta de caudal no rio, a cianobactérias ou a outra causa”.

Segundo o presidente da Câmara, José Maria Pós-de-mina, a morte dos peixes pode dever-se “à falta de oxigénio na água, devido ao baixo caudal do rio e ao calor”.

O rio Ardila - que nasce em Espanha e desagua em Portugal, na margem esquerda do Guadiana - é fonte de abastecimento público de água de cinco freguesias rurais do concelho de Moura.

A situação “não irá afectar” a qualidade da água fornecida às populações das cinco freguesias, porque “os peixes mortos foram detectados a jusante do sistema de captação de água”, garantiu José Maria Pós-de-mina.