Petrolífera afirma estar "optimista"

BP pretende estancar mancha no Golfo do México ainda este mês

A maré negra teve origem na explosão na plataforma da BP a 20 de Abril
Foto
A maré negra teve origem na explosão na plataforma da BP a 20 de Abril Lee Celano/Reuters

A BP mostra-se optimista quanto a um possível estancamento da mancha de crude provocada pela explosão da plataforma petrolífera Deepwater Horizon no passado dia 20 de Abril.

Através da técnica botton kill, a British Petroleum (BP) vai tentar travar o jorro de petróleo até ao final deste mês. A técnica de botton kill consiste na injecção de uma elevada dose de lama e cimento através de poços de apoio. Esta estratégia é considerada difícil e perigosa, mas possui já um recorde significativo na estancagem de poços.

Em declarações ao jornal norte-americano Wall Street Journal (WSJ), Bob Dudley, director operacional da intervenção da BP no Golfo do México, afirmou que “no mundo perfeito sem interrupções, é possível estar preparado para estancar o poço entre os dias 20 e 27 de Julho”. Contudo, a operação está agora ameaçada pela temporada de furacões para a zona do Atlântico, que começou oficialmente a 1 de Junho.

Ontem, uma nova depressão tropical formou-se na zona do Golfo do México, chegando a atingir ventos de 55Km/h, depressão esta que veio perturbar ainda mais a limpeza do derrame.

Enquanto isso, o grupo petrolífero vai pondo em prática uma série de planos de contingência na tentativa de estancar o derrame o mais rapidamente possível. Um desses planos consiste na ligação dos poços de um oleoduto a um gasoduto existente no fundo do mar.

No dia 20 de Julho, a BP pretende emitir um relatório de todo o processo até agora feito tendo em vista a solução do problema. Segundo o WSJ, será também neste dia que o primeiro-ministro britânico David Cameron irá a Washington discutir com o presidente Barack Obama o futuro do grupo BP.

Sugerir correcção