Viana do Castelo

Festeixo vai alargar-se à ópera e à dança

A falta de apoio do Estado e da Associação do Eixo Atlântico, composta por 18 cidades do Norte de Portugal e da Galiza, bem como a "saturação" que o público começava a demonstrar estão na origem do novo conceito introduzido no Festeixo, até agora Festival de Teatro do Eixo Atlântico. Em 2010, o nome mantém-se, mas para designar Eixo de Artes Performativas de Viana. O festival decorre de 9 a 25 de Julho, no Teatro Municipal Sá de Miranda.

Ontem, em conferência de imprensa para apresentação da 15.ª edição do evento, o director do Centro Dramático de Viana, adiantou que, para além do teatro, a ópera e a dança serão as novas apostas culturais do programa. Carlos Borges salientou que o anterior modelo "foi perdendo sentido e vigor", transformou-se num espaço de acolhimento de companhias de teatro portuguesas que "raramente o público de Viana do Castelo tinha oportunidade de ver". "A machadada final no Festeixo aconteceu quando o director do Instituto das Artes, actual Direcção-Geral das Artes, considerou que não podia apoiá-lo", disse ainda Carlos Borges.