Protocolo com Instituto de Emprego

RPP Solar cria 1900 postos de trabalho em Abrantes

O Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) assinou hoje um protocolo de cooperação na área da formação com a empresa RPP Solar, que vai criar 1900 postos de trabalho em Abrantes através de um Projecto Integrado de Energia Solar (PIES).

O protocolo hoje assinado, que contou com a presença do promotor do investimento, Alexandre Alves, do presidente do IEFP, Francisco Madelino, e do secretário de Estado do Emprego e Formação Profissional, Valter Lemos, estabelece as bases de cooperação no que concerne ao recrutamento e formação dos cerca de 1900 trabalhadores a contratar, “com formação profissional à medida”, assim como acordam na utilização das medidas governamentais de apoio ao emprego, “enquanto instrumentos de suporte à criação de emprego e ao combate ao desemprego”.

Instalada em Pego, Abrantes, num terreno com 82 hectares de área, esta nova fábrica de painéis fotovoltaicos, vocacionada para a exportação, visa “agregar” toda a cadeia de produção de energia solar, e implicará um investimento global de 1072 milhões de euros (ME) e a criação de 1.900 postos de trabalho, até 2013.

A empresa, com arranque de produção anunciado para Julho, quer afirmar-se como “a maior do sector nacional e uma das maiores da Europa e do Mundo”, tendo em carteira contratos assinados com Espanha, Itália, Alemanha e “outros oito em fase final de assinatura, como seja com o Japão e China”, afirmou à Lusa o empresário e promotor do projecto, Alexandre Alves.

Segundo acrescentou, “os contratos assinados permitem dizer que já temos tudo vendido e o produto vai ser todo escoado a partir de Abrantes numa lógica patriota e de aposta na exportação”, apontando para uma estimativa de “1700 camiões por ano, com 600 painéis cada, a carregarem painéis para toda a Europa”.

Valter Lemos, secretário de Estado do Emprego e Formação Profissional, realçou a “importância e dimensão” do projecto PIES para aquela região do interior do país, tendo afirmado que a sua presença na cerimónia pretende “dar o sinal de que o Governo está com os projectos dinamizadores e optimistas”.

“O pessimismo está na moda, e a imprensa não dá conta das coisas boas que acontecem, até parecendo que é proibido das boas notícias”, acrescentou.

Com recrutamento de base local e regional, a RPP Solar vai receber 128 milhões de euros de incentivos, ao abrigo do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), sendo 58 milhões de incentivos financeiros e os restantes 70 milhões de incentivos fiscais.

Com o arranque de produção anunciado para Julho, com 670 colaboradores a contratar, o projecto é composto por cinco fases, duas em 2010, outras duas no próximo ano e a última, e também a de maior capacidade instalada e com um investimento de 400 milhões de euros, no ano 2012, então já com 1900 trabalhadores.

Com “tecnologia de ponta alemã”, nomeadamente da Siemens, “esta será a primeira fábrica integradora na área fotovoltaica e produzirá integralmente todos os componentes do painel solar”.