Contas trimestrais

Passivo consolidado da Benfica SAD aumenta 91,4 por cento face a 30 de Junho de 2009

O passivo consolidado da Benfica SAD está perto dos 342 milhões de euros
Foto
O passivo consolidado da Benfica SAD está perto dos 342 milhões de euros Joao Henriques (Arquivo)

A SAD do Benfica apresentou hoje as contas relativas ao terceiro trimestre do exercício 2009/2010, que compreende o período de 1 de Julho a 31 de Março de 2010.

No comunicado enviado à CMVM, o aumento do passivo consolidado para valores aproximados dos 342 milhões de euros é justificado pela “aquisição da totalidade das acções da Benfica Estádio no final do mês de Dezembro de 2009.”

Na análise às “demonstrações financeiras do terceiro trimestre de 2009/2010, que compreendem o período de 1 de Julho a 31 de Março de 2010”, que “contém informação trimestral não auditada”, o Benfica salienta “que a sua comparabilidade com o mesmo período do exercício anterior se encontra afectada pela alteração ocorrida no perímetro de consolidação da Benfica SAD, nomeadamente pela aquisição da totalidade das acções da Benfica Estádio no final do mês de Dezembro de 2009”.

O período em análise, acrescenta o comunicado, “ficou marcado pelo desempenho que a equipa de futebol profissional teve como consequência do reforço da aposta na vertente desportiva”. “Conforme tem sido referido pela Benfica SAD, estando criadas as condições necessárias para um desenvolvimento sustentável da Benfica SAD, a estratégia passa por privilegiar o factor desportivo numa perspectiva de médio e longo prazo, em detrimento dos resultados económicos de curto prazo”, é ainda referido.

Dessa forma, segundo o clube “encarnado”, “foi implementada uma estratégia com cinco vectores básicos que serão cruciais para o futuro, tanto na perspectiva desportiva como económica”: “a não venda de jogadores, nomeadamente dos mais credenciados e de maior potencial; “a contratação de atletas com créditos firmados, sendo disso exemplo a compra de Ramires, internacional da selecção brasileira, bem como de Javi Garcia ou Saviola”; “a retenção, por um período suficientemente alargado, dos jovens jogadores oriundos da formação interna e com maior potencial de afirmação desportiva”; “a renovação dos contratos dos jogadores mais importantes do plantel, garantindo assim um maior compromisso entre o clube e o atleta e aumentando as respectivas cláusulas de rescisão”; “a criação de um Fundo de Jogadores que potencia a realização de mais-valias geradoras de um maior equilíbrio da conta de resultados no decurso do período dos contratos dos atletas e uma diversificação das fontes de financiamento da Benfica SAD.”

Na análise às demonstrações financeiras, a SAD Benfica refere que deve ser tomado em conta “o efeito de sazonalidade nas contas das sociedades desportivas, significativamente influenciado pelo facto de existirem ganhos relativos a transferências de atletas em alturas específicas do ano” e “a aquisição da Benfica Estádio por parte da Benfica SAD realizada no final de Dezembro de 2009”.

Assim, no “3º trimestre de 2009/2010, que compreendem o período de 1 de Julho a 31 de Março de 2010”, a Benfica SAD apresenta “um resultado consolidado negativo de 22,8 milhões de euros e um resultado operacional consolidado negativo de 15,9 milhões de euros, os quais no período homólogo corresponderam aos valores negativos de 18,5 e 15,6 milhões de euros, respectivamente”.

Nos “resultados operacionais excluindo as transacções de atletas”, registou-se “um resultado próximo do equilíbrio”, o “qual contrasta com o resultado negativo de 4,7 milhões de euros atingido no período homólogo. Já os “proveitos operacionais registaram um crescimento de 27 por cento”, o que é “justificado pelo aumento das rubricas de publicidade e patrocínios, receitas de bilheteira, quotizações e prémios das competições europeias da Benfica SAD”, o que “se traduziu num incremento de cerca de 4 milhões de euros”.

Em relação ao passivo, registou-se um crescimento do passivo consolidado de 91,4 por cento, é agora de 341,9 milhões de euros, face a 30 de Junho de 2009, o “qual é essencialmente justificado pelo aumento do passivo individual da Benfica SAD e pela incorporação da Benfica Estádio”. Em contrapartida, é referido que “observa-se um crescimento do activo consolidado em 108,2 por cento, o que significa um aumento de 180,5 milhões de euros, atingindo actualmente o montante de 347,4 milhões de euros”.

Sugerir correcção