Empresa do general angolano Hélder Vieira Dias já é o quarto maior accionista do Banco BIG

Com este reforço, o chefe da Casa Militar de José Eduardo dos Santos passa a ser o quarto maior accionista do banco de investimento presidido por Carlos Rodrigues.

A WWC, que entrou no capital desta instituição financeira há cerca de três anos e meio, começou com uma participação de 4,4 por cento em 2007. Além da posição no BIG, a WWC, onde "Kopelipa" tem como sócio Álvaro Torre (gestor que dá a cara pelo projecto angolano de comunicação social Medianova), é também o accionista maioritário da empresa Colinas do Douro, que adquiriu duas quintas nesta região vitivinícola.

Tendo em conta o reforço da posição accionista e o aumento de dividendos relativos ao exercício de 2009 a pagar pelo banco, a WWC vai receber 455 mil euros (6,5 cêntimos por acção) de dividendos, contra os 219 mil euros do ano anterior.

A composição de accionistas do Banco BIG mostra também que o presidente da Sonangol, Manuel Vicente, deixou de ter uma participação directa na instituição financeira. Onde antes constava o seu nome, enquanto detentor, a título individual, de uma posição de 4,9 por cento, está agora a Edimo, Sociedade Internacional de Gestão. Esta empresa, uma sociedade unipessoal, tem a sua sede no escritório da sociedade de advogados Leite Campos Soutelinho & Associados. Ao PÚBLICO, Diogo Leite Campos confirmou que a Edimo é um dos seus clientes, e que em alguns casos, tal como a lei o permite, o escritório de advogados serve de sede a algumas companhias.

No registo oficial da Edimo, criada em Setembro de 2009, surge como accionista único Edmilson Martins, que é também vogal do conselho de administração da Great Cente, empresa de actividades imobiliárias com sede em Lisboa.

Esta, por sua vez, é presidida por Mirco Martins, enteado do presidente da petrolífera angolana, Manuel Vicente (que no último congresso do MPLA foi nomeado para o bureau político do partido que governa este país).

Em Angola, Mirco Martins é sócio e director executivo do grupo Vernon, empresa que, conforme uma notícia do Novo Jornal, de Luanda, está "ligada a Manuel Vicente". O grupo Vernon, de acordo com a página oficial da empresa na Internet, detém vários negócios em Angola. Estes vão desde a área de serviços no sector petrolífero até ao imobiliário (um dos seus investimentos foi no Belas Shopping), passando por sectores como a agro-indústria.

O PÚBLICO tentou contactar Edmilson Martins através da Great Cente, mas tal não foi possível, tendo uma responsável da empresa afirmado que o gestor estava ausente em viagem. Por parte do BIG, este respondeu que não comenta relações com accionistas.

De acordo com o relatório e contas da Sonangol referente a 2008 (agora tornado público, na sequência de um acordo mais abrangente entre Angola e o FMI), é no Banco BIG que estão, sob custódia, os 469 milhões acções do Millennium bcp detidas pela Sonangol, o que representa 9,96 por cento do capital deste banco. com Cristina Ferreira