Elvis Costello cancela concertos em Israel

Costello não quer pactuar com o que considera ser o tratamento injusto dos palestinianos
Foto
Costello não quer pactuar com o que considera ser o tratamento injusto dos palestinianos Reuters

Cantor pediu desculpas aos fãs, jornalistas e organização, mas a causa palestiniana falou mais alto.

O músico Elvis Costello cancelou dois concertos que tinha agendado em Israel como uma forma de protesto contra a forma como os palestinianos são tratados na região.

Os dois concertos estavam agendados para 30 de Junho e 1 de Julho em Cesareia (cidade da costa mediterrânica de Israel) e o anúncio foi feito no site do cantor. Na mensagem, Costello diz que anulou os espectáculos porque não queria que o considerassem um apoiante do governo de Israel. "Há alturas em que o facto de ter o nome associado a um concerto pode ser interpretado como um acto político que vale mais do que aquilo que seria cantado, e pode ser interpretado como se a pessoa não se importasse com o sofrimento dos inocentes", escreveu Costello.
O músico pediu desculpa a quem já tinha comprado bilhete, aos organizadores e aos jornalistas israelitas que o tinham entrevistado a propósito dos concertos. Costello disse ainda que esta decisão pode fazer com que não volte a ser convidado para actuar em Israel, mas não se arrepende e considera que esta é a melhor altura para o fazer.
Costello disse que deve acreditar que nos próximos concertos "estarão muitas pessoas que questionam a política dos seus governos e deploram as condições de intimidação, humilhação ou piores sobre os civis palestinianos em nome da segurança nacional", mas um concerto não é a melhor maneira de actuar contra essas práticas, porque a questão é "muito séria e complicada". E concluiu a declaração dizendo que tem "esperança na paz e no entendimento" entre israelitas e palestinianos.