Domingos não desiste e quer continuar a fazer frente aos “grandes”

Foto
Domingos admite ficar em Braga e quer definir rapidamente o esqueleto da equipa Foto: Adriano Miranda (arquivo)

“Tenho mais um ano de contrato e, depois do trabalho que foi feito, é natural que esteja motivado para continuar, porque acredito que posso fazer mais e melhor”, começou por dizer o técnico numa entrevista a vários órgãos de comunicação social ao final da manhã de quarta-feira.

Domingos lembrou que se “as coisas correram bem” esta temporada e no futuro “pode ser ainda melhor”, depois de o Sporting de Braga ter terminado a Liga portuguesa de futebol em segundo lugar, melhor classificação de sempre do clube.

“A minha continuidade não pode, nesta altura, ser posta em causa”, concluiu.

O treinador admitiu que a estratégia será idêntica à da esta época, ou seja, para o exterior um discurso de tentar vencer jogo a jogo, mas internamente com os olhos postos no título, sem nunca, contudo, assumir uma candidatura.

“As pessoas têm como referência aquilo que foi feito no passado e se nós, jogo a jogo, formos alimentando esse sonho e alcançar ainda mais sucesso, é isso que vamos tentar. Noutras alturas, o Braga lutou com o Marítimo, o Vitória de Guimarães, o Nacional, mas se pudermos continuar a lutar com o Benfica, o FC Porto e o Sporting é esse o grande objectivo”, disse.

Segundo Domingos Paciência, porém, os minhotos não vão assumir-se como candidatos ao título: “Como é que se pode quando há clubes que investem 100 milhões de euros para ganhar o título e outros, como nós, que investem 12 milhões para conseguir um lugar na Europa?”, deixou.

Sobre a próxima temporada, disse querer garantir o mais cedo possível um “esqueleto” da equipa, lembrou que há situações, como as eventuais saídas de alguns dos principais jogadores do plantel, como Eduardo, Rodriguez ou Evaldo, que não dependem da sua vontade, e revelou que é preciso melhorá-lo “em algumas posições”.

Domingos disse ainda que quer manter determinados jogadores que considera serem “a estrutura e os pilares fundamentais da equipa, pela sua personalidade, liderança e espírito de guerreiros”.

“Pelo meu passado como jogador, sei que há certos jogadores que são fundamentais dentro do balneário. Há vários no plantel, como o Eduardo, Evaldo, Vandinho e Moisés, mas também o Alan ou o Mossoró, aqueles que sabem o que é ser jogador do Sporting de Braga”, disse.

O apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões “é muito importante”, sabendo de antemão que será tarefa dura porque os minhotos podem “apanhar equipas com outras ambições e condições”.

“Vamos à luta, vamos acreditar e procurar estar ao melhor nível para conseguir entrar, mas não vamos investir em função de dois jogos. Seria o maior erro estar a gastar 40 ou 50 milhões em vez de 10 milhões. Vamos continuar dentro da política que o clube vem tendo nos últimos anos e procurar comprar bom e barato”, concluiu.

Sugerir correcção
Comentar