Plátanos centenários foram abatidos em Azeitão

A EP justifica a iniciativa com uma carta enviada pela Protecção Civil Municipal, assinada pelo comandante dos Bombeiros Sapadores, onde era solicitada uma "avaliação conducente ao desbaste, ou eventualmente, ao abate dos plátanos". O documento surgiu após a queda de algumas pernadas de árvores durante os últimos temporais e perante a possibilidade de alguns poderem constituir risco para quem circula na via pública.

Rui Higino, vereador responsável pelos espaços verdes em Setúbal, tem "sérias dúvidas em relação à legitimidade do abate, uma vez que apenas uma árvore estaria doente". Além disso, não existe "qualquer relatório técnico que sustente o estado de fragilidade mecânica das árvores". O autarca explica ainda que o procedimento normal no município não passa pelo abate directo. "Há que fazer primeiro um inventário fitossanitário e uma avaliação visual das árvores. Só depois de analisar os resultados, e em falta de alternativas, se faz o abate, faseado e com vista à replantação". A câmara pediu uma reunião de urgência à EP, mas pondera avançar com uma queixa. A presidente da Junta de Freguesia de São Lourenço apresentou já queixa na GNR.