Alegre valoriza mais cátedra com o seu nome que a possibilidade de ser eleito Presidente

Foto
Candidato ainda espera apoio oficial do PS fernando veludo/nfactos

O socialista acha que o facto de ser poeta pode ser mais uma vez um trunfo para a sua campanha

Manuel Alegre considerou que "tem mais significado" ter uma cátedra com o seu nome, como a que vai ser inaugurada no dia 19, na Universidade de Pádua, do que a possibilidade de vir a ser eleito Presidente da República. "Sim. Tem mais significado. Há vários que podem ser eleitos Presidente da República. Não conheço mais nenhum que tenha uma cátedra na Universidade de Pádua", afirmou Manuel Alegre, em entrevista à revista Ler e em resposta à seguinte pergunta: "Isso [a cátedra] é mais importante do que a possibilidade de vir a ser eleito Presidente da República?"

Na mesma entrevista, que teve por base o novo livro do escritor (O Miúdo que Pregava Pregos numa Tábua, que amanhã será apresentado), Alegre considera que o facto de ser poeta pode ser um trunfo para a sua candidatura, tal como foi na anterior: "Pode parecer contra a corrente, fora de moda, contra esta ditadura de mercado, em que tudo é mercado, mas sinto um bocado isso nas pessoas. É o que faz a diferença. Professores de Finanças, professores de Economia, tecnocratas, há muitos. Poetas envolvidos na política há muito poucos."

Ontem, Manuel Alegre, que o PÚBLICO tentou contactar várias vezes sem êxito, respondeu a João Soares, que afirmou, em entrevista ao Correio da Manhã e ao Rádio Clube Português, que o candidato a Belém "não pode fazer muitas asneiras". "Se quiser ser o candidato do PS não pode andar permanentemente a fazer críticas ao PS e ao Governo do PS, como tem feito nos últimos tempos", disse João Soares.

"Tenho que fazer um discurso institucional, um discurso de candidato à Presidência da República. Não tenho que fazer o discurso do Governo nem o discurso da oposição", respondeu Alegre ao Rádio Clube. E valorizou o facto de João Soares ter afirmado que não terá "dificuldades em votar no candidato do PS", nem "dificuldade em votar em Manuel Alegre".

O socialista ainda não recebeu o apoio oficial do seu partido, mas no interior do PS continuam a surgir apoiantes à sua corrida a Belém. Ontem foi a vez da concelhia do PS da Chamusca. Em comunicado, diz que, face às candidaturas em presença, apoia "expressamente" Alegre.

Já um grupo de apoiantes vai lançar amanhã um fórum na Internet de discussão sobre vários temas da vida política. O fórum, que terá a designação de Praça da Canção e poderá ser visto em www.praçadacanção.eu ou em www.pracadacancao.com, inclui um documento intitulado O país precisa, nós apoiamos a candidatura de Manuel Alegre.