FC Porto

Pinto da Costa recandidata-se e quer indemnização superior a 17,5 milhões

Pinto da Costa diz que se teria demitido se estivesse no lugar de Ricardo Costa
Foto
Pinto da Costa diz que se teria demitido se estivesse no lugar de Ricardo Costa Paulo Ricca (Arquivo)

Pinto da Costa anunciou, em entrevista à RTP1, que vai recandidatar-se à presidência do FC Porto para “voltar a ganhar” sem “precisar de ter ninguém na Liga”. O líder portista revelou ainda que não vai abdicar de pedir uma indemnização à Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) pelos castigos a Hulk e Sapunaru (estima que o valor será “superior” a 17,5 milhões de euros) e que Hermínio Loureiro, presidente da LPFP, renunciou ao cargo depois de Ricardo Costa, presidente da Comissão Disciplinar da LPFP, não ter aceitado a sua sugestão para se demitir.

O presidente do FC Porto começou por dizer que, “com todos os jogadores” disponíveis, o plantel portista “não é inferior” ao do Benfica e que os “dragões”, sem o castigo a Hulk, estariam, “sem a mínima dúvida”, em “primeiro lugar ou muito próximo”.

Depois, surgiu a comparação entre presidentes: “Se formos ver as contas, o Benfica apresentou um prejuízo de 13,8 milhões de euros e o FC Porto um lucro de 19,6. Se considerarmos que o passivo do Benfica é 340 milhões e o do FC Porto 140 milhões... Ao nível dos resultados desportivos o FC Porto ganhou a Supertaça, está bem lançado para ganhar a Taça de Portugal. O Benfica, neste momento, está bem lançado para vencer a Liga dos túneis e venceu a Taça da Liga.”

No campeonato, Pinto da Costa reconheceu que o “segundo lugar está em risco” e que o “Sp. Braga está em segundo com todo o mérito”. “Com Hulk, acredito que podemos ganhar os seis jogos que faltam. Mas pode não ser suficiente”, admitiu.

Luís Filipe Vieira voltou a estar na ribalta quando se falou nas eleições para a LPFP. “Da parte do presidente do Benfica, foi ele que o disse, apenas está preocupado com os lugares na Liga. Eu não estou nada preocupado com os lugares na Liga e já emitimos um comunicado a dizer que o FC Porto se colocava fora da luta eleitoral”, referiu.

O “único objectivo” do presidente portista é “ter melhor equipa do que este ano”, com “sangue novo”. Crise? “Pode haver quando os resultados são maus. Ao fim de sete anos em que ganhámos seis campeonatos, não ganhar um é uma crise no FC Porto. Para outros ganhar um de cinco em cinco é uma festa. É o caso do Benfica.” Ao ataque, Pinto da Costa acrescentou: “O Benfica teve dois méritos: melhorou nos túneis e melhorou no técnico. Não é verdade que o FC Porto tenha tentado contratar Jorge Jesus. Se quisesse tinha contratado e ele não me desmente.”

Perto do final da entrevista, o presidente do FC Porto afirmou que não vai abdicar da indemnização à LPFP pelos castigos impostos a Hulk e Sapunaru e avançou que o valor “será superior a 17,5 milhões”, verba arrecadada pelos “azuis e brancos” na Liga dos Campeões esta época. “Não tenho dúvida nenhuma que os cinco pontos de diferença para o Sp. Braga, sem o castigo do Hulk, não existiriam”, justificou. “Se os sete juízes do Conselho de Justiça, por unanimidade, deram razão ao FC Porto, é evidente que não há dúvidas de que nós tínhamos razão”, concluiu.

A finalizar, Pinto da Costa deixou uma confidência e garantiu que Hermínio Loureiro não se demitiu por não concordar com a decisão do Conselho de Justiça: “Demitiu-se porque Ricardo Costa não aceitou a sugestão que ele lhe fez para se demitir. Foi pena que ele não tivesse dito isso quando saiu. Eu, no lugar de Ricardo Costa, tinha-me demitido”, garantiu.

Notícia actualizada às 22h59