Relatório a infiltrações em lojas da Rua do Carmo iliba câmara de Lisboa

O relatório de peritagem sobre as infiltrações em lojas na Rua do Carmo está concluído e, segundo o vereador das Obras Municipais, demonstra, "sem qualquer margem para dúvidas", que o problema é anterior às obras que a Câmara de Lisboa está a realizar nos terraços do Carmo.

O vereador Nunes da Silva garante aliás que foram encontrados registos de lojistas queixando-se de infiltrações ainda nos anos 90, sendo que a empreitada a cargo da autarquia começou apenas em 2009.

"Há lojas que têm autênticas couves nas fachadas, o que não acontece num mês", disse ainda o autarca que, já em Janeiro, tinha atribuído o problema a obras que os inquilinos dos espaços comerciais teriam feito, danificando o sistema de drenagem dos edifícios.

Nunes da Silva adianta que o relatório agora concluído demonstra "claramente" essa tese, mas acrescenta que, ainda assim, a autarquia encarregar-se-á de algumas reparações nas duas lojas de que é proprietária. Essa intervenção, explica, deverá passar pela construção de "uma abóbada secundária", para evitar novas infiltrações.

As restantes quatro lojas da Rua do Carmo afectadas são propriedade da Direcção-Geral do Tesouro, entidade à qual a Câmara de Lisboa já entregou o relatório de peritagem, que deverá ser divulgado na próxima semana.

De qualquer forma, Nunes da Silva salienta que todos os lojistas estão já a beneficiar de duas obras entretanto realizadas pela Câmara de Lisboa: a impermeabilização dos terraços do Carmo e a instalação de um novo sistema de drenagem, que por enquanto é provisório e passa pela fachada.

Alguns dos comerciantes cujas lojas foram afectadas, ameaçaram avançar para tribunal com uma providência cautelar, responsabilizando a autarquia pelos problemas que teriam surgido em consequência das obras.