Primeiro fac-símile de "Os Lusíadas" já está à venda

Foto
Há 500 exemplares à venda no Ateneu Comercial do Porto por 720 euros Pedro Cunha

A edição fac-similada do primeiro exemplar de "Os Lusíadas" foi lançada ontem, no Museu de Artes Decorativas, em Lisboa. Um fac-símile é uma edição nova (geralmente de um livro antigo) que reproduz fielmente o original, incluindo fontes de letras, escala, ilustrações e paginação. O original utilizado, raro e avaliado em cerca de um milhão de euros, pertence ao Ateneu Comercial do Porto.

A obra, datada de 1572, encontrava-se em mau estado geral de conservação. Assim, há cerca de um ano, o Ateneu decidiu confiar o exemplar ao Departamento de Conservação e Restauro da Fundação Ricardo Espírito Santo Silva (FRESS). Após quase cinco meses de trabalho, o restauro da obra ficou concluído. Conscientes da importância de "Os Lusíadas", a FRESS e o Ateneu decidiram fazer uma edição fac-similada, limitada e numerada, da obra.


O Ateneu não revela o valor do restauro, mas Conceição Amaral, directora do Museu de Artes Decorativas, diz que, "tendo em conta a dimensão da obra, até nem foi exorbitante". A directora explicou ainda que foram produzidos apenas 500 exemplares, que estão à venda no Ateneu, por 720 euros.


Desses, apenas 50 estão disponíveis na FRESS, acompanhados pela primeira vez de três ensaios técnicos sobre Luís de Camões, a obra e o processo de restauro, por 760 euros. "Já tínhamos reservas antes da edição do livro", diz a directora, que adianta ainda que "é possível pensar numa reedição, mas já não será numerada".