“Se tivesse de escolher entre a Taça da Liga e a Euroliga, escolhia a Euroliga”, garante Jorge Jesus

Foto
Jorge Jesus acredita num jogo com golos Hugo Correia/Reuters (Arquivo)
Deschamps disse há pouco que o mais importante para o Marselha é o campeonatro francês, mais do que qualquer outra coisa. E para o Benfica?

Nós temos vários objectivos, mas se me perguntarem qual o principal, digo que é a Liga portuguesa, mas isso não invalida que amanhã queiramos passar esta eliminatória. Estamos numa prova onde o prestígio do Benfica tem saído reforçado.


Admite fazer alguma rotatividade de jogadores amanhã?

Não. Tivemos os dias necessários para a recuperação total da equipa (com excepção de César Peixoto, que se lesionou). Vamos agora trabalhar mais no plano táctico.


Vai apostar numa estratégia mais ofensiva inicialmente?

Cada jogo tem uma estratégia diferente e sabemos que temos de fazer golos amanhã. A estratégia não tem a ver se o nosso posicionamento é mais ou menos defensivo. Nós temos o nosso modelo de jogo, que irá ser utilizado amanhã.


Qual é o jogo que vai valorizar menos? A final da Taça da Liga ou a Liga Europa?

O nosso pensamento número um é o campeonato nacional e o jogo mais importante foi o que efectuámos no domingo na Madeira [vitória frente ao Nacional, por 1-0]. Se pudéssemos escolher entre a Taça da Liga e a Euroliga, escolheria a Euroliga, como é óbvio. O Benfica é um clube com prestígio na Europa e amanhã, se tivermos de arriscar física e tacticamente em relação ao desgaste da equipa, arriscaremos, independentemente do jogo de domingo [com o FC Porto].


Os golos apontados esta época (98) reforçam a confiança do Benfica para o confronto com o Marselha?

Os golos são importantes, mas também os resultados. O Benfica está a fazer um campeonato e uma Euroliga muito fortes. A equipa está extremamente confiante e respira saúde por todo o lado. Amanhã vai fazer um excelente jogo contra uma grande equipa que foi montada para passar a fase de grupos da Liga dos Campeões. É uma equipa forte como o demonstrou em Lisboa. Estou convencido que o jogo de amanhã vai ter golos das duas equipas.


O que aprendeu sobre o Marselha na primeira mão?

Aprendemos que é uma equipa que conhecia muito bem o Benfica e os jogadores tinham a lição bem estudada, conseguindo impedir a nossa primeira linha de construção. Estamos preparados para essa estratégia e vamos ver se amanhã não se volta a repetir. Houve também algumas tácticas utilizadas pelo Marselha que desconhecíamos.


Que pormenor é que pode decidir a eliminatória?

Qualquer jogador do Marselha ou Benfica, numa situação de inspiração, também podem alterar uma estratégia ou um dispositivo táctico. Quero como isto dizer que os jogadores das duas equipas têm muita qualidade individual.


Lamenta alguma coisa em relação ao jogo do Benfica em Lisboa?

Lamento não ter ganho. A equipa do Marselha teve argumentos e dividiu o jogo com o Benfica. Sentimos que poderíamos ter vencido o jogo, mas temos de reconhecer a qualidade do adversário.


Que hipóteses tem cada uma das equipas?

O Marselha está em vantagem, mas nós estamos confiantes de que vamos fazer golos e equilibrar mais uma vez a eliminatória. Temos várias estratégias preparadas para introduzir nas difrentes fases do jogo.


Como classifica as individualidades do Marselha?

O Marselha tem bons jogadores e uma segunda linha de criação, com o Cissé e o Lucho, que é muito forte. É uma equipa muito criativa na sua fase de organização. Tem também o melhor goleador do campeonato francês, com 18 golos, que é o Niang, que é muito mais perigoso que o Brandão.