POSITIVO e NEGATIVO

+


Villas-Boas
Não poderia ter corrido melhor a estreia do treinador em Alvalade, provando que a aposta dos “leões” na sua contratação não seria, de todo, descabida.

Académica
Primeira vitória fora de casa, onde apenas conquistara até ao momento dois pontos no campeonato. Destaque para os golos de Orlando e João Ribeiro, mas toda a equipa está de parabéns.

-


Sporting
Depois da agressão de Sá Pinto e da demissão do director para o futebol; depois da derrota em Braga e do adeus à Liga dos Campeões; depois da goleada frente ao FC Porto e da despedida da Taça de Portugal, as duas semanas de horror de Carvalhal prosseguiram ontem.
Liga

Villas-Boas prolonga a depressão do Sporting de Carvalhal

Amoreirinha celebra o segundo golo da Académica perante o desalento de Pedro Mendes
Foto
Amoreirinha celebra o segundo golo da Académica perante o desalento de Pedro Mendes Marcos Borga/Reuters

O primeiro treinador escolhido pelos “leões” para suceder a Paulo Bento alcançou o primeiro êxito fora de casa precisamente em Alvalade

A Académica contribuiu hoje com mais um capítulo para o filme de terror em que vive o Sporting esta temporada, particularmente arrepiante nas duas últimas semanas. Mais do que a derrota em si, já pouco significativa para o que resta das ambições dos lisboetas no campeonato, o doloroso para Carlos Carvalhal terá sido o protagonista da desfeita: André Villas-Boas, primeira escolha de Bettencourt para render Paulo Bento. Foi a primeira vitória fora de casa da equipa de Coimbra nesta Liga.

Um “frango” de Rui Patrício aos 4’; um penálti claro não assinalado, aos 86’ e uma bola salva sobre a linha de golo pela defesa academista no derradeiro instante do encontro explicam muito da terceira derrota do Sporting em Alvalade nesta temporada. A equipa de Carvalhal até prometeu nos instantes iniciais do encontro e reagiu bem ao golo madrugador, repondo a igualdade, aos 23’, mas um segundo tempo muito fraco, com muitas unidades em sub-rendimento, deitou tudo a perder.

Depois do lapso frente ao Mafra para a Taça de Portugal (4-3), de uma exibição pouco conseguida na goleada sofrida no Dragão (5-2), 
Rui Patrício voltou ontem a comprometer na baliza. Um livre de Orlando, longe da área, aproveitou a intranquilidade que vive o jovem guarda-redes e, para surpresa de muitos, acabou dentro das redes.

Com uma equipa bastante retocada, Carvalhal enriqueceu o “onze” inicial com os onze milhões de reforços de Inverno. Ou seja, estreou-se Pedro Mendes ao lado de João Pereira e Pongolle. De fora ficaram Izmailov e Miguel Veloso (uma surpresa de última hora, já que o médio estava convocado), aparentemente poupados para o derby de terça-feira, onde os “leões” vão defender, frente ao Benfica, a continuidade na última prova nacional onde ainda podem 
obter sucesso.

Com João Pereira bastante controlado, o Sporting demorou algum tempo a explorar as faixas laterais, em particular do lado direito, um dos sectores mais frágeis dos visitantes. Quando o fez, criou perigo e chegou ao golo, aos 23’. Depois de um primeiro ensaio, João Pereira voltou a soltar-se das amarras de Diogo e cruzou para a área, onde um “esquecido” Moutinho empurrou para o seu terceiro golo no campeonato.

Um lance iniciado por Liedson, como quase todos os restantes melhores lances atacantes da equipa. Ao intervalo, o empate não era injusto, mas prejudicava claramente a equipa da casa. Faltava, porém, ainda o pior período do Sporting.

A Académica voltou ao relvado confiante, equilibrando a partida e apostando numa maior posse de bola, de forma a arrefecer os ímpetos atacantes dos lisboetas. Apesar de tudo, o incontornável Liedson esteve perto de acabar com as veleidades dos homens de Coimbra, aos 58’, após um magnífico trabalho na área sobre dois adversários. Mas, tal como acontecera ao início do encontro, na sequência de uma jogada de grande perigo do Sporting, acabaria por marcar a Académica. João Ribeiro recebeu a bola e meteu-a no canto da baliza de Rui Patrício (59’) numa jogada rápida e eficaz do ataque visitante.

A intranquilidade apoderou-se 
definitivamente da equipa de Alvalade e dos 20 mil adeptos nas bancadas, que voltaram a manifestar todo o seu desagrado no final. Nos instantes finais, o Sporting conseguiria empurrar os academistas contra as redes, mas o árbitro e a sorte não ajudaram.

Ficha de jogoSporting, 1Académica, 2

Jogo no Estádio José de Alvalade, em Lisboa.Assistência
20.060 espectadores.

Sporting

Rui Patrício

4

, João Pereira

6

, Tonel

5

, Polga

5

, Grimi

4

, Pedro Mendes

5

(Hélder Postiga

-

, 80’), João Moutinho

6

, Vukcevic

5

(Saleiro

5

, 61’), Matias Fernández

5

, Sinama Pongolle

6

(Pereirinha

4

, 72’) e Liedson

6

.

Treinador

Carlos Carvalhal

Académica

Ricardo

6

, Pedro Costa

6

, Berger

6

, Orlando

7

, E. Rafael

5

, Nuno Coelho

6

, Tiero

6

, Cris

6

(Amoreirinha

-

, 80’), Sougou

6

, João Ribeiro

7

(Lito

6

, 70’) e Diogo

5

(Vouho

5

, 46’).

Treinador

A. Villas-Boas

Árbitro

Pedro Henriques

4

, de Lisboa.

Amarelo

Sougou (86’).

Golos

0-1, por Orlando, aos 3’; 1-1, por João Moutinho, aos 23’; 1-2, por João Ribeiro, aos 59’.

Notícia actualizada às 22h20