Perfil

António Filipe Pimentel: Um académico “ambicioso e dinâmico”

Descrito como “ambicioso e dinâmico”, António Filipe Pimentel, o novo director do Museu Nacional de Arte Antiga, é um académico muito respeitado no meio da História de Arte, não tem perfil de gestor e tem uma reduzida experiência na direcção de museus – era director do Museu Grão Vasco apenas desde Setembro.

Fontes ouvidas pelo PÚBLICO são unânimes em considerá-lo uma boa escolha, embora surpreendente, precisamente chegar à direcção do principal museu nacional tendo apenas uma breve experiência na direcção de outro museu.

Nascido em 1959, António Filipe Pimentel é doutorado em História de Arte pela Universidade de Coimbra, da qual foi pró-reitor com competências na área do Património e da candidatura da Universidade a Património Mundial. Foi também director do Instituto de História de Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, onde lançou um processo de renovação que teve grande sucesso, atraindo uma grande quantidade de novos alunos.

Com um sólido percurso académico, este especialista no barroco integra-se mais no perfil de um director-investigador do que no de um director-gestor. No entanto, a experiência na candidatura da Universidade a Património Mundial e na direcção do Instituto de História de Arte revelam capacidade para um trabalho de organização e de ponte entre as instituições e o exterior, salientam as fontes ouvidas pelo PÚBLICO.