Observatório Segurança Escolar responsabiliza pais por alunos levarem armas para a escola

O director do Observatório para a Segurança Escolar responsabilizou hoje os pais pelos filhos levarem armas para a escola, mas sublinhou que os casos de uso de armas "são muito raros" nos estabelecimentos de ensino.

"São situações claramente de desleixo por parte dos pais", disse à Agência Lusa João Sebastião.

Segundo o mesmo responsável, há filhos que têm acesso a armas, porque há "pais que têm armas em casa e muitas vezes não estão bem guardadas, estão montadas e até carregadas".

"Normalmente, este tipo de casos acontece mais por desleixo dos pais do que [por] problema das escolas", sustentou.

João Sebastião afirmou que "a escola tenta controlar todas as situações que surgem", mas realçou que os casos de alunos que levam armas para as escolas "não resulta da actividade normal da escola".

O director do Observatório para a Segurança Escola disse também que o uso de armas nas escolas tem "uma prevalência muita baixa".

"Os casos de uso [de armas] são muito raros, nomeadamente envolvendo armas de fogo", referiu, acrescentando que por vezes há alunos que levam navalhas para os estabelecimentos de ensino para mostrar os colegas, mas são detectados por funcionários ou professores.

Um aluno do externato Carvalho Araújo, em Braga, foi hoje de manhã baleado no peito e está internado no hospital de São Marcos, em situação estável, disse a directora do colégio, Helena Castro.

O tiro que atingiu o aluno terá sido disparado acidentalmente por um colega da mesma idade que com ele manuseava uma arma que levaram para a escola, revelou à Lusa fonte da PJ.

Segundo a mesma fonte, tratou-se de "um acidente", já que os dois jovens haviam levado uma arma para o interior da escola e estavam a manuseá-la, quando esta disparou e um deles foi atingido.

O autor do disparo é ouvido hoje à tarde no Departamento de Investigação Criminal (DIC) de Braga.