Prémios Gazeta vão voltar a ter categorias para os vários órgãos de comunicação social

“Na próxima edição, vamos alterar o figurino dos prémios Gazeta e regressar ao formato antigo com prémios próprios para imprensa, imprensa regional, rádio e televisão”, avançou o presidente do júri destes prémios.

Actualmente, o grande prémio Gazeta é atribuído a um trabalho jornalístico, independentemente do suporte em que foi divulgado, mas o júri quer “recuperar a especificidade” dos prémios já na edição relativa a 2009. “A alteração pretende ultrapassar a desvantagem da rádio e da imprensa em relação à televisão porque [aquelas] têm menos visibilidade”, explicou Eugénio Alves. “É mais justo e mais correcto que a imprensa e a rádio tenham categorias próprias porque têm mais possibilidades”, acrescentou.

Além dos prémios de imprensa, imprensa regional, rádio e televisão, a organização dos prémios continuará a atribuir o prémio mérito e está a considerar um galardão para a categoria de ciberjornalismo.

Atribuídos anualmente desde 1984, os prémios Gazeta são organizados pelo Clube de Jornalistas com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos e têm por objectivo valorizar os jornalistas portugueses e a qualidade do jornalismo.

Do júri fazem parte Eugénio Alves e Daniel Ricardo, pelo Clube de Jornalistas, os professores universitários Elisabete Caramelo, Fernando Correia e José Rebelo, os jornalistas Eva Henningsen, da Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal, Fernando Cascais, director do Cenjor e o ‘free lancer’ Guiomar Belo Marques, além do crítico de cinema e televisão Jorge Leitão Ramos.