Vitória contra a França, derrota contra os campeões do mundo

Foto
A selecção nacional esteve em bom nivel na África do Sul IRB / Carl Fourie

Depois de na véspera ter terminado no terceiro lugar do Grupo B, após perder contra Fiji e Austrália e ganhar à Rússia, Portugal tinha como objectivo tentar conquistar a Taça Bowl. Para concretizar esse objectivo, os “Lobos” começavam por defrontar a França, nos quartos-de-final do troféu.

Tal como tinha acontecido no fim-de-semana passado, no Dubai, a selecção portuguesa acabou por mostrar-se superior aos franceses. A vitória nacional começou por desenhar-se logo no início da partida: Estavam decorridos apenas 44 segundos quando Gonçalo Foro marcou o primeiro ensaio e deu vantagem a Portugal (7-0).

A França, no entanto, ainda soube reagir. Paul Albaladejo, quando estavam cumpridos perto de três minutos, igualou a partida a sete pontos, mas a partir desse momento Portugal acelerou. Ainda antes do intervalo, Veltioven Tavares e Sebastião da Cunha chegaram ao ensaio que dava uma vantagem aos portugueses no final do primeiro tempo de 21-7.

A segunda parte começou como novo ensaio dos “Lobos” (marcado por Diogo Miranda). Com 28-7, a vitória portuguesa estava praticamente assegurada e Portugal baixou o ritmo, que permitiu à França uma pequena reacção que encurtou no final a vantagem da selecção nacional para 11 pontos (28-17).

O adversário seguinte, nas meias-finais, era o País de Gales que este ano surpreendeu ao vencer o Campeonato do Mundo. Os galeses nos quartos-de-final tinham derrotado a Tunísia por 33-0.

A primeira parte acabou por ser bastante equilibrada, com as duas equipas a repartirem a percentagem de tempo de posse de bola. No entanto, foram os britânicos que ganharam vantagem, com um ensaio de Alex Cuthbert aos três minutos que fixou o resultado ao intervalo em 5-0 para o País de Gales.

Com vários jogadores a denotarem o cansaço físico (era o quinto jogo em dois dias), os galeses dilataram a vantagem para 10-0 com um ensaio de Gareth Davies. A esperança de uma vitória de Portugal ainda regressou um minuto depois, quando Gonçalo Foro encostado à linha lateral ganhou em velocidade a um galês e reduziu a desvantagem dos “Lobos” para 10-7. Porém, com dois ensaios de Justin Tiperic, os galeses asseguraram a vitória final por 24-7.

Sugerir correcção
Comentar