Biodinâmica

Fazer vinho sob os auspícios da Lua

FOTOS Anabela Trindade <br/> <br/>Imagine que tem uma vinha prenhe de uvas lindas, sãs e maduras, com uma casa e adega no meio (o sonho de muitos...). Imagine também que são oito horas menos um quarto da manhã. No céu azul o sol acaba de se levantar, a temperatura é amena e o pessoal olha para si de tesouras na mão aguardando a hora de iniciar a vindima. De repente chega o seu consultor biodinâmico que lhe segreda ao ouvido: patrão, hoje e os próximos três dias são dias "Raiz". Se fosse a si não vindimava. <br/>Imagine ainda que uns meses mais tarde, depois de contratar a prestação de serviços de engarrafamento a uma unidade ambulante e com tudo a postos para iniciar o enchimento das garrafas - mangueira atarrachada à cuba, filtros a postos e garrafas em linha à espera de receber o néctar - chega novamente o tal consultor e lhe diz em tom desapontado: ó patrão, não lhe tinha dito já que nesta semana todos os dias são "Flor" e é nos dias "Fruto" que se deve engarrafar!? <br/> <br/>Um caso sério <br/>Pode parecer brincadeira mas está longe de o ser: a biodinâmica é encarada a sério por muito boa gente. Esta viticultura tão sã, quanto ousada e criativa, enformada por muita liberdade e aromatizada com uns pós de loucura, atrai cada vez mais produtores de vinho de todo o Mundo. <br/>Aliás, é o modus operandi de uma mão cheia dos principais vinhateiros mundiais (onde se inclui o famosíssimo Domaine de la Romanée Conti, na Borgonha). Em Portugal, porém, a Biodinâmica é olhada de soslaio, com uma boa dose de gozo e alguma (bastante) incredulidade. Ao todo entre os milhares de produtores de uva e vinho em todo o país, apenas 3 são biodinâmicos. Outros aderiram ao modo de produção biológico, mas do biológico para o biodinâmico, o passo, apesar de pequeno, requer filosofia e mentalidade próprias. E não é para todos. O Casal do Paço Padreiro deu este passo da forma mais natural que se pode imaginar. Aqui vai a estória... <br/> <br/>Discípulo de Steiner <br/>Vasco Croft interessou-se desde muito cedo por filosofia. Gostava de a ler. Pelos 18 anos deu com um livro de Rudolf Steiner (ver caixa). A empatia foi imediata. Muitos livros depois, Vasco seguiu para Inglaterra onde estudou escultura durante 3 anos numa escola de filosofia Steiner com vários cursos, entre os quais o de Biodinâmica, com o qual travou conhecimento. Durante este período viveu junto a uma quinta biodinâmica onde comprava os produtos que cozinhava. De regresso a Portugal esteve à frente do movimento Waldorf em Lisboa. Os seus dois filhos, hoje adultos, foram educados em escolas Waldorf e em 2002, quando a gestão da quinta familiar lhe caiu nas mãos, deparou-se com duas opções: ou vendia ou explorava. Como o Casal do Paço Padreiro, propriedade rural situada em Refóios do Lima (entre Ponte do Lima e Arcos de Valdevez) está na família desde 1624, decidiu-se pela última. Claro está que o modo de agricultura escolhido para a vinha foi a Biodinâmica. Simples, não é? De tal modo que, quando lhe perguntei se estavam em processo de certificação, Vasco respondeu-me afirmativamente mas acrescentou que a certificação é absolutamente secundária, é mais um pró-forma porque no Paço Padreiro todos têm uma filosofia biodinâmica. Não é o "fazer" mas o "ser", o que é bastante diferente. <br/> <br/>O que é a Biodinâmica? <br/>A biodinâmica é uma agricultura livre de químicos de síntese e em que os únicos fungicidas autorizados, em doses muito restritas, são os oligo, elementos cobre e enxofre. A produção Biodinâmica é uma espécie de upgrade da Biológica. É a Antroposofia, criada por Rudolf Steiner, que rege o agricultor biodinâmico num mundo com reinos e elementos próprios, que não coincidem (entre muitas outras coisas) com os convencionados. <br/>A Biodinâmica resume-se (se é possível resumi-la) na vivificação do solo e fortalecimento das plantas através da aplicação regular de preparados biodinâmicos (e composto) em modo homeopático (gramas/hectare). Tudo gerido em simbiose do homem com a natureza e culturas que o rodeiam, numa unidade agrícola autónoma e individualizada, e sempre sob orientação astral (da lua em particular e dos outros astros em geral). <br/>Na holística Biodinâmica tudo está relacionado e tudo se influencia mutuamente. Assim o Sol, cada planeta e cada constelação relacionam-se com 1 dos 4 elementos, Terra, Água, Ar/Luz e Fogo/Calor, que por sua vez se relacionam com cada uma das partes da planta, respectivamente, Raiz, Folha, Flor e Fruto. <br/>Com a consulta simples do Calendário Lunar, que conjuga a Lua com as restantes forças planetárias e as relaciona com a planta, o agricultor sabe exactamente quais os dias em que uma determinada parte da cepa está receptiva. Se queremos beneficiar a raiz temos de trabalhar em dias "Raiz" se for o fruto em dias "Fruto". Para tal temos à nossa disposição 10 preparados (ver caixa), cada um deles com a sua função específica, que serão aplicados de modo homeopático à vinha. Parece complicado mas não é. O complicado é passar pelo menos o dobro das vezes entre as videiras a olhar para elas e a mimá-las com os ditos preparados além de que para tratamentos fitossanitários as "janelas" (ou tempo) de actuação são muito mais pequenas que na viticultura convencional - como nos lembrou Vasco Croft. <br/>Uma agricultura para profissionais e, acima de tudo, um compromisso total do agricultor para com a agricultura que pratica. <br/> <br/>Extracto de alho e rebanho de ovelhas <br/> <br/>No Casal do Paço Padreiro cumpre-se a regra Biodinâmica a preceito. E este facto não se deve apenas ao proprietário Vasco, mas também a André Silva, técnico agrícola que trabalha com a Agridin e tem na Biodinâmica o seu modo de vida. Era fornecedor dos produtos Bio e cada vez que visitava a quinta passava lá o dia a correr os cantos e a aconselhar procedimentos. E um belo dia Vasco Croft convidou-o a ser consultor em vez de fornecedor. <br/>O sonho de André Silva é conseguir que a vinha do Paço Padreiro não receba uma grama de fungicida e consiga na vindima apresentar uvas perfeitas, apenas com os meios fornecidos pela natureza circundante. Em 2007, um ano tremendamente propício a ataques de míldio, quase o conseguiu numa pequena parcela experimental de 0,15 hectares. Mas a partir de 21 de Junho lá tiveram o cobre e o enxofre de vir em socorro das videiras. <br/>Profícuo experimentador André Silva não se cansa de procurar novos e mais eficazes caminhos para a biodinâmica do Paço Padreiro; extractos hidro-alcoólicos de alho, salgueiro, nozes, folhas de vinha, outras tantas tisanas... e diz-nos que Biodinâmica é fundamentalmente pragmatismo. Se as coisas funcionam não é necessário por vezes percebê-las porque basta a evidência do sucesso. <br/>Num ano como o de 2009 o tractor passou 14 vezes em cada entrelinha para mimar as plantas com preparados e essências, alguns deles criados por André Silva na sua busca pela perfeição Biodinâmica. De cada vez que havia um tratamento de cobre ou enxofre lá se juntava também um extracto urtiga, salgueiro, eucalipto ou outro para ajudar as plantas na luta diária. <br/>Os animais também dão a contribuição. Um pequeno rebanho de ovelhas e uma pequena manada de garranos, cumprem a função destroçadora de ervas e fertilizante de solos. <br/>Alberto Araújo, o caseiro da quinta, é o "bombeiro" de serviço do Casal do Paço Padreiro. Quando a chuva não dá descanso e a estação meteorológica faz soar o alarme, é Alberto que acode às pragas que amedrontam folhas e frutos e salva a colheita. Na adega, onde são produzidos os vinhos da quinta, com a marca Afros, tanto Pedro Bravo, o enólogo residente, como o consultor Rui Cunha, deixam que as uvas se expressem o melhor que podem. Os produtos enológicos usados são apenas um pouco de dióxido de enxofre e bentonite (argila). Tal como na vinha, também na adega se procura, sempre que possível, cumprir o calendário lunar, quando se transfere o vinho de um depósito para outro ou se fazem engarrafamentos, por exemplo. <br/> <br/>Epílogo <br/>O calendário lunar é uma orientação importantíssima para o viticultor Biodinâmico mas está longe de ser uma imposição ou de alimentar fundamentalismos. Como se comprova no final feliz das duas estórias que contei no início desta peça. <br/>Quando o consultor disse ao patrão que não pode vindimar porque é dia "Raiz" o patrão respondeu: "E então? Só vamos tirar os frutos, a raiz deixamos ficar no mesmo sítio! Além do mais vai começar a chover forte amanhã pela tarde". E vindimou-se. <br/>E quando o consultor lembrou que não se pode engarrafar em dias "Flor", o patrão atirou: "Não me diga que os vinhos vão ficar a cheirar a flores?" "É o mais certo", respondeu o consultor. E assim se deixou o engarrafamento para dia mais propício. Vasco Croft não gostaria que o seu Afros fosse mais um vinho a cheirar a flores. <br/> <br/>(CAIXA1) <br/> <br/>Os Vinhos Afros <br/>Os vinhos que vêm de 11 hectares de vinha do Casal do Paço Padreiro (que passarão em breve para 23) são comercializados com a marca Afros, e originam um branco, da casta Loureiro, um tinto (da variedade Vinhão) e um espumante tinto, todos com denominação de origem Vinho Verde. Quase 80% do vinho é vendido no estrangeiro, sobretudo em Inglaterra, Alemanha e Japão, para um número crescente de clientes aficionados de vinhos de agricultura biológica e biodinâmica. <br/>Provei os vinhos, brancos e tintos, de 2008, que se revelaram de muito bom nível, cheio de fruta, limpeza, frescura e carácter. E fiquei muito impressionado com um Vinhão feito em lagar nesta última vindima de 2009. Um vinho que pode mudar tudo aquilo que pensamos saber sobre o Vinho Verde tinto. <br/> <br/>(CAIXA 2) <br/> <br/>A filosofia de Rudolf Steiner <br/>Filósofo e pedagogo austro-húngaro, Rudolf Steiner (1861-1925), foi o fundador da Antroposofia, da Pedagogia Waldorf, da Agricultura Biodinâmica, da Medicina Antroposófica e da Euritimia. <br/>A Antroposofia, também chamada "ciência espiritual" que se debate sobre o "conhecimento do ser humano", é inspirada no método de observação dos fenómenos desenvolvido por Goethe, de quem Steiner se tornou profundo admirador, conhecedor e editor de toda a obra. <br/>Steiner foi o primeiro filósofo europeu a contrariar o pensamento de Descartes, e da física clássica, gravado na cultura ocidental ao longo de vários séculos. <br/>A profícua actividade literária, filosófica e conferencista está impressa em 350 volumes de livros e 6.000 palestras estenografadas, realizadas a partir de 1902, principalmente sobre os temas de Organização Social, Agricultura (as famosas 8 palestras que fundam a Biodinâmica), Arquitectura, Medicina, Farmacologia e Pedagogia. <br/> <br/>(CAIXA 3-OPCIONAL) <br/> <br/>Os Preparados (*) <br/>As regras Biodinâmicas permitem fazer preparados de qualquer planta porque qualquer planta ou animal está relacionado com um determinado elemento ou parte da planta. Mas os mais usados e comprovados são: <br/>Os Preparados de Campo <br/>500 - Bosta de Vaca; preparado básico, "o Sol no solo", promove a vitalidade dos solos, 100 gramas dinamizadas em 30 a 35 litros de água da chuva ou de nascente. <br/>501 - Sílica; preparado básico, "o Sol na atmosfera" é complementar do 500, reforça o que a planta desenvolve no momento, 2 gr/ha dinamizados em 30 a 35 litros de água tépida aplicados em névoa fina até às 10 horas da manhã. <br/>Os Preparados de Composto <br/>502 - milfolhas; melhora a mobilidade do potássio e enxofre <br/>503 - camomila; melhora os processos de potássio e cálcio <br/>504 - urtiga; regula o ferro e reforça a actividade do composto e solo <br/>505 - casca de carvalho; actua sobre p cálcio e atenua doenças da planta <br/>506 - dente de leão; favorece os processos silícicos <br/>507 - valeriana: gere a mobilidade do fósforo no solo e protege o composto <br/>(*) Elementos retirados dos Cadernos Técnicos Agridin. Autor: João Castella <br/>