Aposta da SIC no público infanto-juvenil

Aposta da SIC no público infanto-juvenil: Novo canal SIC K estreia-se no Meo às 16h de 18 de Dezembro

Boucherie mendes, director do SIC K, diz que este é um canal não só para as crianças mas para toda a família
Foto
Boucherie mendes, director do SIC K, diz que este é um canal não só para as crianças mas para toda a família Shamila Mussa

O novo canal temático da SIC, o SIC K, dedicado ao público infanto-juvenil, arranca no operador de IPTV Meo a 18 de Dezembro, às 16 horas.

O canal só deveria estrear-se em 2010, segundo o acordo estabelecido entre a SIC e a PT (detentora do Meo), mas as condições estavam reunidas para o arranque em Dezembro, no último dia de aulas e em época mais atractiva para os espectadores infantis, pré-adolescentes e adolescentes. Mas, sublinhou esta manhã o director de canais temáticos SIC, Pedro Boucherie Mendes, o canal tem um "espectro mais alargado" de audiência, "e mais apelativo para os anunciantes" do que um concorrente óbvio, o canal Panda, podendo chegar aos jovens adultos e à família.

O SIC K terá perto de dez por cento de produção nacional, como explicaram hoje os responsáveis do canal aos jornalistas, embora nestas primeiras semanas estejam apenas programados dois: Factor K, um magazine jovem semanal de 30 minutos apresentado por Raquel Strada; e Cozinha do Chef André, sobre culinária. De resto, a programação do canal será quase exclusivamente dobrada em português, com algumas excepções nos horários pós-21h30.

Séries ("Medellin", "Sítio do Picapau Amarelo"), animação - sobretudo das 16h às 20h, com títulos como "Gormiti", "Iron Man", "Mr. Bean" ou "Ben 10" -, cinema (no Natal passa "E.T.") e produtos como a vampiresca "Split", de origem israelita ou o concurso japonês "Todos ao Molho", com as vozes do "Programa do Aleixo" a fazer a dobragem, compõem a grelha de 24h/dia, sete dias/semana.

K em vez de Kids, nome pelo qual o canal era referenciado, porque "é uma letra que faz parte desta geração", contextualiza Boucherie Mendes, e porque o canal não é só para kids, para crianças - "É muito importante que o canal seja identificado pelos miúdos de seis, nove, onze anos, e que depois seja cedido aos irmãos mais velhos. No horário nobre queremos competir com os canais de séries, com a Radical, com a TVI e com a SIC", adianta o responsável pelo canal. E também fornecer possibilidades multiplataformas, quando se justificar.

De acordo com Pedro Boucherie Mendes, o objectivo do SIC K é "ser o melhor canal português para este target", sublinhando com ironia que não tem, para já, concorrência, sendo o Panda e outros temáticos infantis canais estrangeiros. Ainda assim, Luís Marques, director-geral e membro da administração da SIC, disse que neste "ano muito difícil" em que se registou uma diminuição do investimento publicitário e uma quebra dos preços dos espaços para a mesma, "as receitas publicitárias não são chave para viabilizar o projecto" SIC K. São importantes, assume, mas numa primeira fase o contrato com a PT e a redução de custos e gastos no universo SIC garantem o equilíbrio financeiro.

O SIC K, que integrará o pacote básico do Meo, envolve um orçamento que oscila entre os 1,5 e os 2 milhões de euros, a julgar pelas contas dos outros temáticos SIC - Mulher e Radical, adiantou ainda Luís Marques. Passados os primeiros seis meses, a SIC está aberta a negociar com outros operadores: "É preferível estar também na ZON do que só no Meo", confessou Nuno Santos. Mas a ZON não é o único outro operador no mercado, atentou Luís Marques - há também a Cabovisão, a Sonaecom..., enumerou.

A campanha promocional do canal começa já na sexta-feira, com uma emissão especial do SIC Kids na manhã de sábado da SIC generalista, anunciou Nuno Santos, director de programas da SIC.

Notícia actualizada às 20h30